Posts

5 motivos para controlar o estoque de sua empresa com um ERP

Gestão de estoque automatizado é uma tendência que cresce a cada dia entre as indústrias.

Apostar nesse recurso traz inúmeros benefícios para os negócios, como aumentar a eficiência e melhorar a precisão dos processos.

Um software que automatiza o fluxo da informação de estoque além de integrar todas as áreas da manufatura, diminuir o retrabalho, reduzir custos e ter apoio na tomada de decisões, garante que não haja falta de produtos na empresa e, ao mesmo tempo, que não haja excesso do mesmo, afinal, estoque parado é dinheiro parado. Para tanto, é necessário uma análise constante do fluxo de movimentação dos produtos, histórico de vendas, prazo de entrega dos produtos por parte dos fornecedores e a sazonalidade comercial.

Vamos destacar 5 razões das que deixam bastante claro quais as vantagens em automatizar o seu estoque através de um sistema ERP (Sistema de Gestão Empresarial).

  1. Redução de perdas e desvios

A prevenção é uma excelente forma de diminuir as perdas com estoque, um controle apurado do estoque garante uma grande redução nas perdas e desvios. A falta de controle e de registro causa imprecisões que se traduzem em perdas, extravios, avarias, por isso é fundamental monitorar as movimentações. A utilização de funcionalidades como o inventário flexível / rotativo permite uma conferência constante do estoque, porém, sem tomar todo o tempo que um inventário geral acaba exigindo.

  1. Acompanhamento do volume de compras

Grande parte das perdas de estoque de uma loja está ligada ao desperdício de produtos que são derivados da falta de procura por parte dos consumidores, ou seja, a demora para vender, que gera fim do prazo de validade e ações promocionais sem sucesso.

Dessa forma, o setor de compras deve ser um dos responsáveis por evitar as perdas, estabelecendo um processo de aquisição de mercadorias baseado na demanda do cliente.

O nível de consumo da empresa diante de determinado fornecedor torna-se muito mais viável para uma melhor negociação, seja em termos de valores, prazos para pagamento ou prioridade em entrega.

Até mesmo fazer uma compra de longo prazo onde pode ser adquirida a quantidade de produtos necessária para determinado período (semana, mês, trimestre, semestre, ano), de acordo com o histórico de vendas, e a mesma vai sendo entregue periodicamente, gerando poder de barganha para as negociações, onde a qualidade da compra é tão importante quanto a qualidade da venda, pois uma compra feita de forma estratégica também é uma maneira de aumentar a rentabilidade do negócio.

  1. Controle do estoque

O controle de estoque é um dos grandes desafios dos empresários e é o principal responsável por garantir o sucesso de toda a operação.

Validade, transporte e exposição nas prateleiras, são algumas atividades que devem ser acompanhadas de perto pela equipe responsável por controlar o estoque da empresa. Esses processos são grandes causadores de desperdícios e o acompanhamento de perto é fundamental para reduzi-los.]

Sendo assim, aplicar um processo cuidadoso de reposição de mercadoria que tenha como fundamento deixar os produtos que vencem primeiro à frente, é uma boa estratégia para evitar perdas de estoque.

Criar estratégias comerciais para que produtos “encalhados” possam ser desovados através de grandes descontos ou até mesmo a decisão pela extinção do mesmo no mix de produtos da empresa são algumas delas.

Além disso, uma análise comparativa das margens de lucro dos produtos e do histórico de vendas do mesmo pode determinar ações que garantam que produtos com maior margem tenham maior destaque no ponto de venda e, consequentemente obtenham aumento nas vendas.

  1. Eficiência operacional

A partir da automatização através de um ERP (Sistema de Gestão Empresarial) a empresa ganha muito em termos de eficiência operacional. Afinal, as informações circulam entre os setores de forma integrada.

A operação do estoque deve ser baseada em uma estrutura fixa de controle e gestão. Essa estrutura deve ser baseada em regras e normas, dessa forma todos os processos que derivam do controle de estoque serão padronizados, evitando erros e divergências operacionais, que podem causar perdas.

Desse modo, ao dar entrada numa nota fiscal de compra o estoque virtual é automaticamente abastecido e uma conta a pagar é gerada, isso tudo já considerando todas as variáveis como a forma de pagamento e os impostos, enquanto que quando se realiza uma venda o estoque é reduzido e é gerada uma conta a receber.

  1. Indicadores

Todos os processos de uma empresa devem ser avaliados e gerenciados por meio de indicadores de resultados KPI (Key Performance indicator), que direcionam os esforços para objetivos estratégicos da empresa.. Esses dados serão importantes para categorizar o estoque, distinguindo com clareza quais são os itens mais importantes à empresa, um dos métodos mais utilizados é a curva ABC, controle dos prazos de validade, e o giro de estoque, que é o parâmetro responsável por indicar o desempenho dos itens em relação aos recursos dispendidos para mantê-los. Para calculá-lo, é preciso considerar a média de saída.

Se você esta procurando mais informação sobre Estoque, Inscreva-se em nossa Newsletter clicando AQUI.

Angelo Rodrigues

Executivo de Contas B2B, Especialista em Spin Selling e Vendas de Valor.

Como o ERP Ajuda a Potencializar suas Vendas

ERP ajudando nas suas vendas

Pensando no passado, mais ou menos na década de 90 quando eu chegava no cliente sem nenhuma informação, apenas o endereço e o nome do contato, e que por muitas vezes nem era mais a pessoa a procurar. Sem falar que como eu não tinha informação do meu lado também, não podia comemorar as vendas, tinha que esperar o departamento financeiro, aprovar toda a negociação.

Ainda hoje muitas empresas trabalham no escuro. Digo isso quando o vendedor ou representante esta a frente do cliente totalmente cego de informações, tanto do cliente quanto do seu próprio produto. Não sabe se o cliente esta ok para compra, não sabe a sua posição de estoque, informações mais detalhadas dos produtos etc.

Com a vinda do ERP e a unificação de informações de várias áreas da empresa, essa escuridão começa a desaparecer. A partir do momento que o faturamento ( comercial) começa a ter informações do departamento financeiro, sabendo a posição atual dos clientes, se tem boletos atrasados ou não, se tem liberação para condições especial, parcelamentos e descontos, essas informações já chegam na ponta ( vendedor ) e isso é uma ajuda fantástica na hora da negociação, porque veja um vendedor pode até se tornar um negociador de dividas, já que ele esta a frente do cliente e tem livre acesso as informações.

As informações sobre os seus produtos também começam a serem transmitidas de forma online muitas vezes. O vendedor consegue ter uma posição do estoque, ter informações valiosas sobre os seus produtos, mudanças, novos produtos, enfim… ele ganha armas para negociar.

Em muitas empresas hoje, esse processo é todo online, o vendedor já recebe a rota do dia, informações detalhadas de quem vai visitar, informações como por exemplo, ultimas compras, últimos produtos, produtos mais vendidos, sugestões de novos produtos levando em conta o que ele já compra e todas as tabelas e negociações que pode fazer em cada cliente.

O mercado já oferece hoje ferramentas pesadas de força de vendas, totalmente integradas com o ERP, que além de todas as informações citadas acima, passa ao vendedor as informações do que desempenho, metas, prêmios, etc. Algumas delas até passa informações sobre a posição em tempo real dos seus colaboradores para que seus gestores possam controlar melhor suas equipes.

O pedido online já é uma realidade muito usada hoje, quando o vendedor mau saiu do cliente e o seu pedido que já foi enviado de forma online, já está sendo faturado, separado e logo depois enviado ao cliente.

Dentre todas essas informações temos o outro lado também, o lado da gerencia, quem toma as decisões. Com ferramentas de BI integradas, o gestor consegue receber uma gama de informações, separadas por pessoas, equipes, regiões, cidades, estados, etc. Consegue ver por linha de produto, consegue cruzar informações de produtos mais vendidos por região ou até mesmo saber qual cliente não está mais comprando, não esta sendo trabalhado e tomar decisões rápidas para ter retorno.

Para finalizar, a integração que o ERP faz com os departamentos, alimentando a equipe comercial com dados precisos na hora da negociação é um grande ganho para qualquer empresa, sendo ela pequena, media ou grande.

Esse conteúdo fez sentido para você? Nos ajude a melhorar sempre, deixe sua opinião

 

 

Fabio Monegatti

Executivo de Contas B2B, especialista SPIN SELLING. e vendas de valor.

RM, PROTHEUS ou DATASUL Qual ferramenta da TOTVS escolher?

, ,

Deixa eu
perguntar uma coisa para você que está lendo esse artigo agora mesmo “Qual o
melhor carro para comprar?” ou “Qual o melhor filme para assistir hoje?”.  Claro que você tem uma resposta e claro também
que as suas respostas podem ser completamente diferentes da expectativa de quem
está perguntando. E sabe quem está certo ou errado? Ninguém!

A minha
vida inteira gostei de filmes de ação ou futurismo plausível tipo “2001 uma
odisseia no espaço” (esse Futurismo já inclusive é passado!) e a também da saga
Alien, pois quem não alucina sobre criaturas extraterrenas dotadas de poderes
absurdos que podem existir em um local do espaço muito longe da terra (Graças a
Deus né!).

Isso mostra
que cada um tem um gosto ou preferência para filmes e carros e que não existe
resposta correta e pronta que satisfaça completamente a todos. Mas, no caso de
Sistemas Empresariais, funciona da mesma forma?

A reposta é SIM e NÂO ! !

Desculpe a redundância
prolixa na resposta, mas vou explicar o porquê da resposta SIM e porque da
resposta NÃO, assim talvez consiga me redimir com você que lê esse artigo
procurando uma resposta objetiva. E Sim, eu vou dá-la.

Para exemplificar, vamos fazer uma analogia sobre carros (apenas para citar um exemplo). Eu gosto de carros grandes, espaçosos e com ar condicionado (claro), mas não valorizo por exemplo rodas esportivas. Prefiro as rodas tradicionais que além de mais baratas, para mim mantem o estilo do carro que a pessoa que projetou queria passar. Bom, isso é correto? É o melhor? Vamos analisar um pouco mais.

Um carro
grande é planejado para caso você precise de espaço para carregar mais pessoas,
mais pesos e mais volume, claro que ele vai gastar um pouco mais de gasolina,
mas vai te compensar se você andar muitos quilômetros por causa da estabilidade
e principalmente de quantidade de pessoas e coisas que você pode carregar nele.
Você certamente vai chegar no seu destino menos cansado e sabendo que ainda
poderia viajar muito mais com o mesmo veiculo sem precisar fazer mais de uma viagem.
Bom, certamente vai gastar um pouco mais de gasolina com isso. Agora, e se você
não pretende viajar para muito longe? Ou suas viagens geralmente levam pouca
gente ou pouca bagagem? Neste caso, você estaria rindo de mim por escolher ou
preferir um carro grande e que custa mais caro ou mesmo gasta mais gasolina
correto?

No caso da
escolha do seu sistema ERP é exatamente a mesma coisa.

OS ERP(Sistemas
de Gestão Empresariais) são basicamente 
um motor do crescimento de sua empresa, como um carro, se você não
souber para onde esta indo, não adianta o carro ser bom. Se você sabe onde esta
indo e a velocidade não pode ser rápida, o carro não precisa ser esportivo. Se você
pretende ir bem longe e levar muita gente com você, certamente você vai precisar
de um carro maior que chegue lá, pois se você escolher agora um carro menor,
quando decidir fazer a viagem mais longa certamente vai ter que trocar de carro.

Neste
contexto de comparação, Qual ERP ESCOLHER então?

A TOTVS ® é detentora de algumas marcas, mas neste artigo vou explanar rapidamente um pouco da história de 3 Marcas (RM, DATASUL e PROTHEUS), para ajudar a responder a pergunta que fizemos no título desse artigo sem mais delongas.

Fonte: Site Totvs Relacão com Investidores.

A RM® Sistemas

A história da RM começa em 1985, quando Rodrigo Diniz (o socio fundador da RM) trabalhava em uma construtora onde era encarregado de calcular a Folha de Pagamento da Empresa. Logo que Rodrigo passou no vestibular ganhou uma calculadora e logo teve a ideia de fazer “programinhas” na calculadora para agilizar o calculo da Folha de Pagamento. Resumindo, esse era o início da RM Sistemas. A RM® foi fundada em 1986 em BELO HORIZONTE com o nome RDM processamento de dados como sendo a empresa que tinha desenvolvido um sistema inicial de calculo de Folha de Pagamento de muito sucesso. Depois de alguns anos, o sistema cresceu e virou em ERP completo até que em 2006 o controle acionário da RM passou para as mãos da Holding de nome TOTVS, onde virou um produto do seu portfólio. A RM Sistema recebeu vários prêmios de 2004 até 2006 como a “melhor empresa de Software do Brasil”  com seu carro chefe de Gestão de Pessoas” e até hoje, tem um expertise incontestável nesta questão.A

DATASUL®

Fundada em 1978 por
Miguel Abuhab, para assessorar empresas do setor
industrial
 na implantação de centros de processamentos de dados,
a companhia se estabeleceu como pioneira no fornecimento de softwares de
automatização de sistemas empresariais no país. Miguel após vender a empresa
para a TOTVS, comprou outra empresa de T.I. que atende a grandes clientes
internacionais que segue o segmento de supply chain.

Em 1996 a Datasul apostou na consolidação dos PCs como ferramenta de gestão empresarial e desenvolveu o primeiro software integrado de gestão administrativa e de controle de produção para microcomputadores


Em 1989 lançou
o Magnus, um software aplicativo literalmente integrado para gestão
empresarial, escrito em linguagem de quarta geração e banco de dados relacional
Progress.


O Protheus®

O Sistema nasceu em 1991 com o nome Siga Advanced® pelos seus proprietários Laercio Consentino e Ernesto Haberkorn. O “Siga Advanced” foi criado com o objetivo de ser uma aplicação inicialmente tipicamente de BackOffice e Controladoria Financeira e Contábil com módulos de produção supplychain. Em 1999 foi desenvolvido um novo framework completamente focado em tecnologia cliente x servidor de nome Microsiga PROTHEUS. Durante esses anos, o Protheus foi aumentando sua estrutura sem desfoque do cenário Fiscal/Contabil Brasileiro, e deixando a ferramenta cada vez mais robusta em suas vertentes de SuppyChain, Chao de Fábrica e Recursos Humanos. O crescimento escalabilidade da ferramenta fizeram a empresa MICROSIGA a partir de 2004 iniciar seu ritmo de aquisições (RM, DATASUL, LOGOCENTER, entre outras) em 2005 entrou no mercado aberto BOVESPA através do seu IPO sendo a 1ª empresa no segmento a abrir mercado já com o nome de TOTVS®. Atualmente o Microsiga Protheus tem o nome apenas de PROTHEUS sendo mais uma importante marca do grupo TOTVS®

Fontes: Wikipedia e Sites WWW.TOTVS.COM.BR.

Bom, esse é
o importante resumo de uma grande história de sucesso ao qual tive (e ainda tenho)
a oportunidade de acompanhar desde seu inicio.

Ahh.. Então agora me responda. Qual o Melhor ERP para sua Empresa? Já consegue ter seu Insight de qual seria o melhor “carro” para sua viagem? Comenta aqui !

Eu sou o Marcus Feixas, 48 anos, Consultor, Empresário, Coach e antes de tudo, um vendedor de soluções focado em achar a melhor solução para meus clientes.

RM, PROTHEUS ou DATASUL Qual ferramenta da TOTVS escolher?

Entenda o que é API

Se você utiliza a internet para realizar tarefas básicas como ler e-mails, comprar produtos ou navegar em redes sociais, com certeza você já utilizou um API.

De forma simples, o API permite que ocorra troca de informação entre dois ou mais sistemas, de forma automatizada.

É algo bastante utilizado no mundo digital, pois agiliza processos e facilita a vida do desenvolvedor e usuário final. Além disso, pode ser aplicado tanto no mundo B2C quanto no B2B.

Ao longo do texto iremos abordar o que é API, como é sua utilização no dia a dia e as principais vantagens que o recurso pode trazer. Acompanhe!

O que é API?

O termo API vem do inglês Application Programming Interface e significa Interface de Programação de Aplicativos.

Sua finalidade é de estabelecer padrões para que programas e aplicativos possam realizar uma comunicação entre si. Ou seja, o API define um comportamento específico necessário para que ocorra uma troca de dados.

Todo o processo é realizado na codificação da aplicação e não requer nenhum tipo de configuração por parte do usuário final, muitas vezes ele nem percebe que está utilizando um API. Os sistemas é que trabalham em conjunto para que a integração aconteça.

Além disso, uma vez que a integração foi realizada, a troca de informações não requer nenhuma intervenção humana, tudo ocorre de forma automatizada.

Imagine uma ponte que conecta dois lados de um rio. Uma vez construída, as pessoas podem transitar livremente para ambos os lados. Assim ocorre o tráfego de dados entre sistemas por meio de API.

Com o intuito de garantir a segurança dos dados, a empresa que desenvolve o software deve liberar o API para que outros possam acessar. Sendo assim, ela fornece os padrões que devem ser seguidos caso algum programa queira se integrar.

 

transformacao digital ebook

Aplicações do API no dia a dia

Como mencionado, muitas vezes utilizamos recursos de API sem saber, tendo em vista que tudo ocorre na parte de codificação do software. Além desse fato, cabe ressaltar que o setor corporativo não é o único que se beneficia do uso do API.

É comum que a utilização do API seja voltada para cadastros e mapas. Mas toda e qualquer aplicação depende da necessidade e desenvolvimento da empresa.

Pensando na frequência com que as pessoas utilizam redes sociais atualmente, os desenvolvedores pensaram numa forma de facilitar o cadastro de usuários em novos softwares.

Ao acessar a base de dados da rede social escolhida pelo usuário, o software consegue adquirir informações como nome, data de nascimento, cidade de residência entre outros.

Portanto, o interessante para o desenvolvedor é a otimização do processo, uma vez que os dados já estão confirmados e o usuário não precisa preencher tudo novamente.

Um bom exemplo de implementação do assunto são os aplicativos de geolocalização. A grande maioria dos que necessitam utilizar alguma informação de mapas, GPS ou posicionamento, fazem um API com o Google Maps.

Isso ocorre porque o Google já tem um sistema bem consolidado e fornece o API para que outras empresas façam esse contato, evitando que novos sistemas de mapas sejam criados a todo momento.

Quais são as vantagens do API?

Levando em consideração o fato de ser integrado, não é necessário construir tudo novamente, economizando tempo no desenvolvimento de novas ferramentas, além de descartar a ação de atividades repetitivas.

As únicas beneficiadas não são somente as empresas da área tecnológica. No mundo corporativo, a economia de tempo permite que os funcionários, que antes realizavam tarefas manuais, possam priorizar assuntos de maior relevância.

Imagine um setor de e-commerce, em que o usuário desiste da sua compra. Uma ação como essa faz com que a empresa perca uma venda. Entender o motivo da desistência é uma maneira de prevenir uma queda na receita.

Utilizando um API, é possível notificar algum funcionário do setor de Customer Success ou enviar um e-mail diretamente para o comprador. As ações ocorrem de forma automática, e ainda podem ser integradas com o sistema de gestão da empresa.

Agora que você conhece um pouco mais sobre o que é API, suas principais aplicações e vantagens, vale a pena levar em consideração como esse recurso pode ser utilizado na sua empresa. Então continue com a gente e saiba como ter uma gestão integrada empresarial!

ESB: como facilitar a integração complexa de grandes sistemas

Com cada vez mais tecnologia sendo adicionada no dia a dia de trabalho, também fica mais difícil acompanhar tudo. Não bastando o cérebro eletrônico ser mais rápido que o humano, ele ainda está em maior número. Mas, rebelião das máquinas à parte, você vai precisar aprender a lidar com tudo isso ao mesmo tempo para se manter no mercado. E uma das soluções que podem te ajudar aqui é o ESB, ou Enteprise Service Bus.

Talvez você não conheça esse termo. Não tem problema, certamente não é o único. Mas, agora que você conhece, é hora de ver como ele pode simplificar o complexo sistema do seu negócio.

O que é um ESB?

Como já mencionamos, é uma abreviação de Enteprise Service Bus. A grosso modo, é um sistema que serve para transportar as informações dos demais sistemas entre si e para o usuário final. Daí ele ser chamado de “ônibus”.

Com esse software de gestão, a empresa coloca todas as outras centenas de softwares utilizados sob uma mesma liderança. Se você ainda não acredita na rebelião das máquinas, o resultado pode ser bem vantajoso para você.

Como ele pode ajudar na integração de sistemas complexos?

1. Economia de capital

Cada centavo gasto na sua empresa faz a diferença. Se você não for responsável com o seu faturamento, pode ir dando adeus a ele. A questão é que, independente do seu profissionalismo, uma parte do seu dinheiro se perde em processos mal otimizados. É um e-mail perdido aqui, uma reunião atrasada ali, um ou outro material jogado fora, e tudo se acumula.

Com o auxílio de um ESB, você pode otimizar os processos da empresa e economizar um terço do seu rendimento. Em universidades e grandes escolas, por exemplo, há muitos eventos e compromissos que alunos e docentes devem acompanhar. Se todos esses sistemas estivessem sob a mesma tutela, menos pessoas perderiam prazos para entregar trabalhos.

2. Aceleração de processos

Já parou pra pensar em quanto tempo você gasta apenas para correlacionar diferentes relatórios dentro do seu negócio? Sem falar no tanto de faturamento que você deixa de produzir nesse período. Pois é, os números não são pequenos. Evitar esse desperdício pode melhorar muito a sua vida.

Setores muito burocráticos, como o de logística, já têm pouco tempo pra manobrar. Ter sistemas devidamente integrados e otimizados pode ser a diferença entre perder ou cumprir um prazo. Nesse setor, cada 5% de economia de tempo já conta.

3. Visão ampla sobre o panorama da empresa

Por fim, mas não menos importante, conseguir olhar toda a empresa sob uma mesma lente vai te ajudar muito na hora de tomar alguma decisão. Saber, por exemplo, que o setor de vendas está rendendo pouco por que o marketing não teve orçamento para uma campanha descente pode te impedir de desperdiçar muito dinheiro substituindo uma equipe inteira de vendas.

Agora você já sabe quais são os benefícios do ESB para sua empresa. Quer se aprofundar mais no assunto? Então veja faça download gratuitamente do nosso guia sobre ERPs e tire todas as suas dúvidas!

[e-Book] – ERP, Guia para tirar suas duvidas

Guia ERP

Em um momento de tantas mudanças rápidas e que a cada minuto mais informações são colocadas na sua frente, não podemos deixar os conceitos primordiais que alavancaram tantas mudanças. O ERP é um dos seus protagonistas !

Faça o Download do seu e-Book 

 

Neste guia gratuito, você terá :

  • Entenda o que é um sistema ERP
  • Saiba como é divido um sistema ERP
  • Conheça as vantagens do sistema ERP
  • Aprenda como implementar ERP com eficiência
  • Descubra quanto custa um sistema ERP
  • Conclusão

 

Boa Leitura !









Consultoria empresarial: saiba como escolher a melhor opção

, ,

Você já ficou na dúvida sobre qual decisão tomar na empresa e gostaria de ter um profissional ao lado para ajudar? Se a resposta for sim, então você já precisou de uma consultoria empresarial.

A consultoria empresarial auxilia a empresa a tomar as melhores decisões, abrir novos mercados, descobrir quais são os pontos fracos do negócio e até mesmo a encontrar os melhores talentos para compor uma equipe. Repare como são vários os benefícios de uma consultoria empresarial.

O difícil para o empresário, porém, é escolher a melhor consultoria. São tantas opções no mercado que deixam qualquer diretor confuso. Marketing? Gestão? Finanças? Recursos Humanos? Qual tipo de assessoria será a melhor opção?

Neste post, vamos dar algumas dicas para escolher a melhor consultoria empresarial e acabar com essa dúvida de uma vez por todas. Boa leitura!

Entenda bem o que sua empresa precisa

Para você contratar uma boa consultoria empresarial, o primeiro (e mais importante) passo é saber exatamente do que sua empresa precisa. Antes de contatar qualquer consultor, faça um diagnóstico interno. Identifique qual é a falha da sua empresa e o que você precisará que o consultor faça.

Com base nesse diagnóstico, você vai ter condições de contratar o profissional ideal para lhe ajudar. Vamos supor que sua empresa esteja com dificuldades no fluxo de caixa, apesar de estar conquistando mais e mais clientes. Nesse caso, o ideal seria contratar um consultor financeiro. Ele vai mostrar como reverter a situação e como transformar clientes em lucro.

E se o problema for outro? Bom, há várias situações. Se você vender pouco, contrate um consultor de marketing. Se tiver dificuldade com mão de obra, procure uma consultoria em recursos humanos. O importante é fazer o diagnóstico com precisão para receber a consultoria adequada para cada caso.

Fique de olho no atendimento da consultoria empresarial

Quando iniciar os primeiros contatos com uma consultoria, considere a qualidade do atendimento. Uma boa consultoria preza pelos seus clientes. Veja se a empresa foi rápida e eficaz no atendimento, se tirou suas dúvidas e se respondeu seus e-mails com agilidade.

Caso contrário, é melhor nem dar continuidade ao processo. Se uma consultoria não atendeu você corretamente durante essa etapa, existe uma chance muito grande de o atendimento piorar ainda mais ao longo de todo o projeto de consultoria. Não deixe isso acontecer.

Cuidado com os preços baixos

Qualidade sempre tem um preço. Essa máxima vale também para o ramo de consultoria. Se alguma empresa fez uma oferta muito abaixo do mercado, desconfie! Preços baixos podem significar que os consultores não têm experiência nem capacidade para atender as suas demandas.

Em geral, as consultorias praticam faixas de preços semelhantes, guiadas pela lei do livre mercado. Quem mantém os valores muito abaixo não conseguiu se firmar pela qualidade e busca um diferencial apenas no preço do serviço oferecido.

Converse com outros clientes da consultoria

Depois de encontrar uma consultoria bacana, que fez uma proposta legal para você, é hora de dar o próximo passo. Nessa etapa, o ideal é saber a opinião de clientes e ex-clientes da consultoria.

Fale com eles. Peça a opinião sobre os trabalhos dos consultores e verifique se a consultoria trouxe resultados práticos. Se as respostas forem positivas, siga em frente. Caso contrário, pense novamente. Afinal, você poderá ser o próximo cliente insatisfeito da lista.

Saiba quem vai executar o projeto

Essa é uma questão importante. Em muitos casos os clientes fecham contrato com um profissional de consultoria, mas na hora de executar o projeto ela destaca outro profissional para trabalhar, que você não conhecia.

Para evitar essa situação, questione quem vai lhe atender, quem será o consultor que estará no dia a dia com você. Essa pergunta simples vai evitar muita dor de cabeça ao longo do projeto.

Gostou das dicas de como contratar a melhor consultoria empresarial para você? Então, entre em contato conosco e saiba mais sobre esse serviço!









Afinal, qual é o momento exato para investir em ERP?

Não há dúvidas de que 2017 se desenhou como um ano ruim para a economia, mas você não pode ficar pensando nisso o tempo todo. Em vez de reclamar da crise, aproveite o momento do mercado para arrumar a casa e se preparar para o boom em 2018. Afinal, as previsões sobre o ano que vem são bem melhores e animadoras. Quem estiver preparado, vai lucrar bastante.

Uma das formas mais importantes de se preparar durante a crise é investindo em tecnologia. Nesse quesito, os Enterprise Resource Planning (ERP) são peças fundamentais. Nenhuma empresa vai para frente sem um bom ERP para aperfeiçoar a gestão.

Neste texto, vamos explicar para você qual é o momento certo para investir em um novo ERP e quais são os sinais de que você está precisando de um software desses com urgência.

Demora em estruturar os dados da empresa

Se você percebe que a sua equipe leva muito tempo para compilar informações, elaborar relatórios e produzir gráficos, é porque está na hora de comprar um ERP. O software integra as informações de diferentes áreas da companhia. Na prática, derruba as paredes entre os departamentos e faz a comunicação girar mais rápido.

Com um ERP, você terá em suas mãos planilhas, relatórios e gráficos sobre o desempenho da empresa em pouco tempo. É mais eficiência para tomar decisões assertivas e menos horas de trabalho de seus funcionários para levantamento das informações.

Erros constantes

Os seus funcionários cometem muitos erros operacionais? Então este é um motivo para investir em um ERP. Erros operacionais não precisam ser grandes equívocos. Podem ser um dado digitado errado na planilha Excel, problema na contagem de produtos ou atraso na emissão de notas e no cumprimento de prazos, por exemplo.

Com o ERP, a quantidade de erros cai bastante. Isso porque o software ajuda a automatizar boa parte das tarefas diárias, impedindo erros humanos.

Falta de segurança das informações

Se você percebe que as informações da empresa não estão seguras, o ERP vai conseguir resolver. Muitas empresas ainda guardam pilhas e pilhas de papel impresso ou deixam arquivos digitais importantes (como fluxo de caixa) registrados em um ou dois computadores. Não seja negligente com a sua segurança.

Os ERPs são softwares projetados para aumentar o nível de cuidado com as informações nas empresas. Isso porque, muitos deles, deixam os dados salvos em grandes servidores web (cloud). Além disso, limitam quais usuários podem acessar determinados tipos de informação.

Crescimento acentuado é motivo para uso de um ERP

Se você percebe que sua empresa está crescendo rapidamente e os funcionários não dão conta de tanto trabalho, é hora de comprar um ERP. O software automatiza várias tarefas diárias, estrutura processos e melhora a produtividade e eficiência.

Quando se investe em um ERP de qualidade, o empresário economiza na contratação de novos funcionários e racionaliza os recursos financeiros para suportar o crescimento da empresa.

Precisa de um sócio ou investidor

O processo de buscar um novo sócio ou investidor também pode ser auxiliado por um ERP. O software traz uma série de ferramentas para que a empresa aplique boas práticas de governança. Essa melhora na qualidade da gestão também impacta a imagem da empresa no mercado e dá mais transparência durante a negociação.

Então, está na hora de comprar um ERP para sua empresa? Não deixe de entrar em contato conosco. Podemos ajudar você neste projeto!









Curso Totvs ou SAP: qual escolher?

Você está vivenciando um dilema em optar por um curso Totvs ou SAP? Inegavelmente são dois sistemas amplamente utilizados no mercado e considerados as principais soluções integradas de gestão empresarial. Sendo assim, o que fazer para garantir que está fazendo a escolha certa?

Com o intuito de ajudar você a tomar a melhor decisão, apresentaremos, por meio deste artigo, algumas dicas valiosas para escolher um curso de acordo com os seus objetivos de carreira.

Vamos começar?

3 perguntas a fazer antes de escolher um curso

Optar por fazer um curso e se qualificar profissionalmente é, sem dúvidas, uma excelente iniciativa não apenas para o estudante em formação, mas, também, para aqueles que já possuem vasta experiência em uma área.

Porém, deve-se levar em conta que um curso implica na dedicação de tempo, dinheiro e muita força de vontade. Então, o que levar em conta antes de decidir entre Totvs ou SAP?

1. A instituição é credenciada?

Da mesma forma que ao matricular-se em um curso de graduação o estudante verifica se a instituição de ensino é reconhecida pelo MEC, é de equivalente importância verificar se a empresa que fornece o curso é credenciada à Totvs ou à SAP.

Caso não haja uma parceria entre as partes, provavelmente o diploma do curso não terá relevância alguma e de nada agregará ao seu currículo.

2. Quanto custa?

Não existe um controle que regula o preço de mercado acerca de cursos, ou seja, cada instituição aplica uma diferente metodologia para estipular o valor que será cobrado por curso e a forma como será feita a cobrança.

3. Qual é o custo-benefício?

São dois os fatores que devem ser considerados na questão do custo-benefício: os custos adicionais e o quanto o curso contribui dentro da realidade do mercado.

Primeiramente, priorize a localização da instituição onde pretende estudar. O local é fora de mão? Precisará pegar ônibus ou metrô para chegar? Quanto você gastaria com alimentação?

Em segundo lugar, não hesite em fazer pesquisas, ligar para as instituições para saber mais detalhes do curso e matriz curricular, assim como consultar alguma referência do mercado.

 Totvs ou SAP: o que são, como funcionam e o que agregam profissionalmente?

Não há dúvidas quanto ao nível de participação que as suítes de produtos Totvs e SAP têm no mercado, no entanto, você deseja saber qual delas é melhor. Para isso, confira alguns pontos que devem ser considerados:

Totvs

A Totvs trabalha com a sua linha de produtos de software Protheus, que fornece uma gama de soluções integradas para gestão, sendo elas: ERP, CRM, HCM e SCM, cada uma responsável por uma área específica da gestão.

Existem, pelo menos, 3 pontos muito importantes a respeito da empresa e seus serviços:

  1. presença consolidada no mercado SMB: o mercado SBM (Small and Medium Business – Pequenas e Médias Empresas) é o que mais oferece oportunidades de carreira;
  2. empresa com Market Share no Brasil: isso significa que a Totvs possui um alto grau de participação no mercado em termos de vendas;
  3. organizada e focada no cenário Tributário Brasileiro: as soluções do Protheus são integradas com base no Sistema Tributário do Brasil, fator que leva muitas empresas a adotá-lo.

SAP

A SAP é uma empresa alemã e está entre as maiores do mundo no setor de software empresarial, com mais de 35 anos de experiência!

Os principais pontos a favor do SAP são:

  1. módulos bem estruturados: a SAP possui uma complexa divisão de módulos dedicados a uma área específica — RH, Contabilidade, Vendas etc. —, que, por sua vez, possuem sub-módulos que fornecem soluções mais abrangentes;
  2. grande demanda por profissionais: embora a demanda seja, em sua maior parte, por profissionais experientes, a própria necessidade tende a fazer com que os especialistas menos avançados sejam mais requisitados;
  3. boa participação no mercado brasileiro: de acordo com a 26ª Pesquisa sobre o Mercado de TI, realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), a SAP domina 25% do mercado SMB.

Agora que você já tem maior noção sobre o que os cursos têm a oferecer para sua carreira, qual será a sua escolha: fará um curso Totvs ou SAP? Deixe a resposta nos comentários!

Saiba como escolher um profissional de compras

Pesquisas apontam que, em média, 40% dos custos finais de um produto/serviço têm como início o setor de compras. Toda empresa precisa comprar de outras para oferecer seus bens ou serviços no mercado. O preço que se investe em um insumo interfere no valor final do produto ou serviço ofertado, ou seja, na decisão de compra do cliente final.

Dessa forma, o profissional de compras é fundamental para o negócio: ele é a peça-chave para a empresa conseguir adquirir os insumos necessários com um bom custo-benefício e fechar parcerias vantajosas com os fornecedores.

Para saber comprar é preciso mais que uma boa rede de contatos ou trabalhar com base nas experiências de vendas. É importante que se tenha amplo conhecimento dos processos envolvidos no planejamento da organização, como contatos com fornecedores, gestão de estoque, formação de preço, concorrência de mercado, competitividade, entre outros fatores.

Pensando nisso, separamos algumas competências que você precisa analisar ao escolher um profissional de compras. Confira!

Organização

O setor de compras é acionado por várias frentes de trabalho e se o profissional não for organizado, não vai conseguir começar e terminar nenhuma cotação com resultado satisfatório. Assim, estará sempre atrasado com os assuntos das áreas solicitantes, não conseguindo realizar o trabalho.

Neste sentido, uma boa estratégia de follow up é essencial para manter os trabalhos em ordem.

Relacionamento interpessoal

Esta é uma característica que se espera em todo profissional. Ocorre que, para o profissional de compras, esse atributo é muito mais relevante, pois o departamento de compras atua com diversas áreas como financeiro, produção, engenharia e comercial.

O poder de convencimento também é importante não só para negociar prazos e condições de pagamentos com os fornecedores, mas também para, internamente, negociar prioridades com as áreas solicitantes.

Conhecimento do mercado

É fundamental que o profissional de compras saiba o que está comprando, tendo ciência de quais são os principais riscos e oportunidades do mercado. É relevante saber, por exemplo, se o material usado para produzir o bem que se está comprando é atingido por qualquer fator que possa alterar seu preço final.

De posse desses dados, é possível programar de forma mais estratégica o período para se fazer a compra de forma a trazer o melhor resultado para a empresa.

Alinhamento com os objetivos da empresa

Para que o comprador atue de forma eficiente, ele precisa conhecer quais são os objetivos da organização para a qual trabalha, de forma a ajustar as suas negociações para o alcance destes.

Não é eficiente, por exemplo, negociar uma baixa de preços para a compra de um lote maior de insumos, se a estratégia da organização é a redução de estoques para ganho de espaço, com a intenção de se começar uma nova linha de produção.

Ética

O profissional de compras deve zelar pela ética no seu dia a dia, informando de modo objetivo quais são as regras da organização e a conduta esperada das empresas participantes da concorrência. Ele deve ser honesto e não pode aceitar brindes ou agrados que influenciem a escolha por um determinado fornecedor.

Agora que você já sabe o que analisar ao escolher um profissional de compras, que tal compartilhar este artigo nas redes sociais para que mais pessoas possam interagir com o tema?