O que seu Processo Empresarial Afeta no seu Lucro apenas Mapeando seu Processo

O que seu Processo Empresarial Afeta no seu Lucro? – 05 Dicas para ter mais lucro apenas Mapeando seu Processo

O que seu Processo Empresarial Afeta no seu Lucro? 

05 Dicas para ter mais lucro apenas Mapeando seu Processo

Você sabia que independente da ferramenta que a empresa utiliza é possível que esteja perdendo dinheiro?

Tudo porque os processos não estão maduros o suficiente para não gerar retrabalhos, inconsistências, custos, controles paralelos ou morosidade.

Desta forma, é importante efetuar um mapeamento nos processos para eliminar estes gastos ocultos, e que no montante acaba sendo um gargalo para as empresas:

 

1ª Dica: Elimine retrabalhos:

Quando a empresa não possui um sistema integrado implantado nas áreas, é possível que estejam executando diversas tarefas em duplicidade.

Como exemplo, citamos uma empresa que possua apenas um sistema de gestão financeira, onde ao receber uma nota fiscal de compras esta é lançada no sistema.

Neste caso é possível que existam muitos profissionais retrabalhando na mesma nota fiscal, para gerar controle de estoque, de compras, fiscal e etc.

Ao mapear o processo identificamos estes retrabalhos e automatizamos o processo com ferramentas com integração entre as áreas.

2ª Dica: Evite processos inconsistentes:

A boa prática nos orienta que não devemos ter pessoas com responsabilidades de execução e aprovação na mesma operação.

Então, ao identificar um processo que o mesmo profissional solicita e aprova, indicamos como solução que seja criada um controle de alçada no processo.

3ª Dica: Reduza custos:

Existem processos que pouco controlados podem gerar um custo desnecessário à empresa, e ao mapear o processo, indicamos como solução, controles mais rígidos, evitando assim perdas na operação.

Isto é muito comum no controle de materiais em linha de produção, pois entre o controle de requisição ao almoxarifado, sua utilização e devolução ao estoque pode-se não apontar corretamente o uso desta matéria prima.

Ainda no mapeamento deve-se atentar a estes apontamentos para a geração do Bloco K, uma obrigação fiscal que pode incidir multas pela falta deste controle.

4ª Dica: Elimine controles paralelos:

Cada controle paralelo para ser gerado é demandado tempo útil que poderia ser utilizado em trabalhos mais nobres, se houvesse na ferramenta tais informações.

Se considerarmos um profissional que tenha o custo líquido de R$ 2.000,00 e este execute controles paralelos que demandem 10 minutos, ao final do ano está sendo custeado o valor de R$ 29.356,80.

O valor gasto neste controle poderia ser investido na automatização do sistema de gestão.

Identificar estes controles e sugerir melhorias no processo é uma das tarefas fundamentais do mapeamento de processos.

5ª Dica: Agilize o processo:

Em um mapeamento podemos identificar morosidades que impactam no lucro da empresa.

Tivemos um caso no processo de recebimento de nota fiscal, que na inclusão da nota no sistema era demasiado moroso ocasionando pagamento do título em atraso, com multas e juros.

Neste caso propomos a automatização do processo com as devidas aprovações antes da entrada da nota, e automatização na inclusão da nota.

A economia com juros e multas foi em cerca de 29,5% sobre o faturamento, neste caso.

 

Concluindo, o custo de executar um mapeamento passa a ser um investimento se encarado como melhoria para os processos da empresa.

A redução de mão de obra, tempo e produto é visível a olhos nus quando implantadas as soluções mapeadas.

Quer saber mais, clique aqui!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *