Como criar BACKUP banco de dados do Protheus®?  

Olá!

Nesse post vamos falar de um assunto de suma importância das empresas, seja ela qual for o segmento de atuação; o BACKUP.

Essa é uma palavra que deve estar sempre sendo lembrada em todas as empresas. Uma empresa deve ter uma politica  de  BACKUP do seu banco de dados documentada,  bem estruturada, com redundância e com regras bem definidas, traz uma grande proteção das suas informações.

Se considerarmos que as informações armazenadas em um banco de dados é um bem  da empresa, é  extremamente importante manter sempre os BACKUPs  atualizados , confiáveis e em total segurança.

Vamos falar  a seguir sobre esse assunto que deve ser tratado com bastante atenção que é de suma importância.

Hipoteticamente vamos  imaginar a seguinte situação:

Você chega na segunda-feira para trabalhar as 07:00 horas da manhã. Liga sua estação de trabalho e vai logar no atalho do seu ERP. Ao invés de abrir  o sistema normalmente, o seu SMARTCLIENT exibe a mensagem de erro informando que o banco de dados não pode ser conectado.

Aí você pede para o pessoal de TI da empresa ver o que está acontecendo. Vem aquela noticia depois de alguns minutos passados,  houve uma invasão de hackers e os dados foram “sequestrados”. Os invasores deixaram uma tela aberta escrito normalmente em inglês que os seus dados foram sequestrados, estão no seu HD criptografados em 128 bits e para te-los de volta é preciso que seja pago o valor do “RESGATE”.

O “Sequestro de Dados” é um exemplo apenas dos riscos que corre os dados da empresa, existem outros tipos de  incidentes que levam a perda do Banco de Dados da empresa.

Se o banco de dados está na nuvem, a segurança dos dados estão sob a responsabilidade da empresa que foi contratada para armazenar os dados na nuvem. É de responsabilidade da mesma a realização dos  BACKUPs e a integridade dos mesmos.

Modos de execução do BACKUP

Vale ressaltar que nesse post vamos focar no  BACKUP do Banco de Dados usado pelo ERP da empresa.

Muitas empresas utilizam o Gerenciador de Banco de Dados MS-SQL Server® e é também com o qual trabalhei  um longo tempo  como DBA, por isso vou usar esse Gerenciador  de Banco de Dados como referencia,

Existem 2 formas de , BACKUP o “QUENTE” e o “FRIO”.

Traduzindo,  “QUENTE” é o BACKUP realizado com o serviço de banco de dados em execução. Isso quer dizer que mesmo estando em uso pelo ERP, durante a manipulação dos dados o BACKUP   pode estar sendo realizado. O termo “QUENTE” significa que o banco está ativo durante a cópia sem a necessidade de interromper o acesso dos usuários no sistema, apenas degrada um pouco a velocidade. Este BACKUP  é executado através de comandos  SQL e executados pelo Sql Agent que tem todos os procedimentos e horários de execução pré-definidos.

Também pode ser feito manualmente pelo modo de comando no SQL Management ou modo prompt de comando do Windows/Linux.

BACKUP   “FRIO” não pode ser realizado com o serviço do banco em execução.

Para este tipo de BACKUP  se faz necessário parar o serviço de banco de dados do servidor.

MÉTODOS DE CRIAÇÃO DE BACKUP DE BANCO DE DADOS

Fazer    BACKUP parece ser bem simples: Basta copiar arquivos e pastas para qualquer outro lugar e o problema está resolvido. Essa visão simplista do assunto é compartilhada pela maioria dos usuários domésticos, inclusive alguns gestores de TI de pequenas e médias empresas.

Como qualquer apólice de seguros, toda essa simplicidade e imprudência ao fazer  BACKUP passa despercebida caso não haja sinistros. Sistemas funcionando não exigem recuperação de dados ou planos de contingência sendo colocados em prática.

O problema realmente começa quando um computador para de funcionar ou qualquer usuário exclui acidentalmente um arquivo, solicitando a ajuda para o departamento de TI. Nessa hora o sistema de  BACKUP tem que funcionar, sob pena de constrangimentos desnecessários.

Ter uma estratégia de BACKUP  bem elaborada sempre faz a diferença: Conhecer os tipos de BACKUPs   existentes, softwares e equipamentos para esse fim proporcionam maior velocidade na solução dos problemas e diminuem o uso da infraestrutura de TI, mantendo os dados sempre atualizados e seguros.

BACKUP  Completo ou Full

BACKUP  completo ou full é simplesmente fazer a cópia completa de todos os arquivos, pastas ou volumes para destinos estabelecidos como servidores, sistemas de discos ou para a nuvem.

A principal vantagem em realizar o BACKUP  full é ter uma cópia idêntica do ambiente de produção, o que facilita ao gestor de TI localizar arquivos ou pastas que porventura necessitem ser restaurados. Por outro lado, fazer a cópia completa dos dados indiscriminadamente sem nenhum tipo de verificação sempre consumirá mais espaço que o necessário, pois todas as informações serão copiadas, inclusive as que já estão armazenadas e não foram alteradas.

O ponto importante de realizar e manter uma cópia completa dos dados é que a mesma é inevitável para qualquer que seja o plano de  BACKUP escolhido, pois todos os tipos de BACKUP  necessitam de uma cópia integra de todos os dados.

  BACKUP incremental

BACKUP  incremental surgiu para sanar algumas deficiências encontradas ao realizar o BACKUP  full, como a de sempre copiar todos os dados a cada operação, mesmo que nenhuma alteração tenha sido realizada. Além dos recursos desnecessariamente consumidos para manter diversas cópias completas dos dados, o crescimento explosivo na criação de conteúdo aumentou muito o tempo gasto para manter o BACKUP  sempre atualizado.

O primeiro passo para instituir um sistema de BACKUP  incremental é a realização da cópia completa dos dados. Assim que essa cópia for realizada, a cada nova instrução de  BACKUP  o  sistema verificará quais arquivos foram alterados desde o último evento e, havendo alteração, só copiará os que forem mais atuais. Esse processo gera um fragmento de BACKUP  a cada operação, menor que a cópia completa dos dados

BACKUP  Diferencial

Para minimizar esse risco da perda de dados, o  BACKUP diferencial alia o conceito de economia e velocidade doBACKUP   incremental, porém com uma diferença fundamental: Após realizar o primeiro  BACKUP completo, cada BACKUP  diferencial compara o conteúdo a ser copiado com o último  BACKUP  full e copia todas as alterações realizadas.

Isso significa que uma maior quantidade de dados será gravada a cada novo  BACKUP diferencial, pois o último fragmento sempre conterá todas as diferenças entre o  BACKUP original e o volume de dados atualizado. Esse processo é mais prático quando comparado ao incremental, pois só exigirá o BACKUP  completo e o último fragmento de BACKUP  para restauração de dados.

O problema desse método é que dependendo do incremento de dados da empresa, cada processo poderá gerar arquivos de BACKUP   diferenciais maiores e maiores, superando inclusive o tamanho do primeiro BACKUP   completo. Como na cópia incremental apenas as últimas modificações são registradas, a velocidade do processo é maior, pois apenas os dados alterados no último BACKUP  incremental são gravados.

Para encerrar, devo fazer algumas considerações:

Cada empresa deve analisar com o seu TI, qual a melhor solução de BACKUP   ela se enquadra.

BACKUP   FULL com verificação sem duvida é o mais seguro.

É importante que  exista uma redundância dosBACKUP s . Na empresa é recomendado ser feito em um disco de armazenamento externo e o mesmo BACKUP   esteja protegido na NUVEM.

A empresa terá  sempre um BACKUP   confiável e seguro com uma boa politica de BACKU’P.

BACKUP  é que nem apólice de seguro, você nunca sabe quando vai precisar usar.

A segurança dos dados é vital para o funcionamento da empresa!

E aí, gostou desse post?

Quer saber mais sobre BACKUP?

Entre em contato ou nos deixe o seu comentário.