Solução dos seus problemas

Entenda o que é API

Se você utiliza a internet para realizar tarefas básicas como ler e-mails, comprar produtos ou navegar em redes sociais, com certeza você já utilizou um API.

De forma simples, o API permite que ocorra troca de informação entre dois ou mais sistemas, de forma automatizada.

É algo bastante utilizado no mundo digital, pois agiliza processos e facilita a vida do desenvolvedor e usuário final. Além disso, pode ser aplicado tanto no mundo B2C quanto no B2B.

Ao longo do texto iremos abordar o que é API, como é sua utilização no dia a dia e as principais vantagens que o recurso pode trazer. Acompanhe!

O que é API?

O termo API vem do inglês Application Programming Interface e significa Interface de Programação de Aplicativos.

Sua finalidade é de estabelecer padrões para que programas e aplicativos possam realizar uma comunicação entre si. Ou seja, o API define um comportamento específico necessário para que ocorra uma troca de dados.

Todo o processo é realizado na codificação da aplicação e não requer nenhum tipo de configuração por parte do usuário final, muitas vezes ele nem percebe que está utilizando um API. Os sistemas é que trabalham em conjunto para que a integração aconteça.

Além disso, uma vez que a integração foi realizada, a troca de informações não requer nenhuma intervenção humana, tudo ocorre de forma automatizada.

Imagine uma ponte que conecta dois lados de um rio. Uma vez construída, as pessoas podem transitar livremente para ambos os lados. Assim ocorre o tráfego de dados entre sistemas por meio de API.

Com o intuito de garantir a segurança dos dados, a empresa que desenvolve o software deve liberar o API para que outros possam acessar. Sendo assim, ela fornece os padrões que devem ser seguidos caso algum programa queira se integrar.

 

transformacao digital ebook

Aplicações do API no dia a dia

Como mencionado, muitas vezes utilizamos recursos de API sem saber, tendo em vista que tudo ocorre na parte de codificação do software. Além desse fato, cabe ressaltar que o setor corporativo não é o único que se beneficia do uso do API.

É comum que a utilização do API seja voltada para cadastros e mapas. Mas toda e qualquer aplicação depende da necessidade e desenvolvimento da empresa.

Pensando na frequência com que as pessoas utilizam redes sociais atualmente, os desenvolvedores pensaram numa forma de facilitar o cadastro de usuários em novos softwares.

Ao acessar a base de dados da rede social escolhida pelo usuário, o software consegue adquirir informações como nome, data de nascimento, cidade de residência entre outros.

Portanto, o interessante para o desenvolvedor é a otimização do processo, uma vez que os dados já estão confirmados e o usuário não precisa preencher tudo novamente.

Um bom exemplo de implementação do assunto são os aplicativos de geolocalização. A grande maioria dos que necessitam utilizar alguma informação de mapas, GPS ou posicionamento, fazem um API com o Google Maps.

Isso ocorre porque o Google já tem um sistema bem consolidado e fornece o API para que outras empresas façam esse contato, evitando que novos sistemas de mapas sejam criados a todo momento.

Quais são as vantagens do API?

Levando em consideração o fato de ser integrado, não é necessário construir tudo novamente, economizando tempo no desenvolvimento de novas ferramentas, além de descartar a ação de atividades repetitivas.

As únicas beneficiadas não são somente as empresas da área tecnológica. No mundo corporativo, a economia de tempo permite que os funcionários, que antes realizavam tarefas manuais, possam priorizar assuntos de maior relevância.

Imagine um setor de e-commerce, em que o usuário desiste da sua compra. Uma ação como essa faz com que a empresa perca uma venda. Entender o motivo da desistência é uma maneira de prevenir uma queda na receita.

Utilizando um API, é possível notificar algum funcionário do setor de Customer Success ou enviar um e-mail diretamente para o comprador. As ações ocorrem de forma automática, e ainda podem ser integradas com o sistema de gestão da empresa.

Agora que você conhece um pouco mais sobre o que é API, suas principais aplicações e vantagens, vale a pena levar em consideração como esse recurso pode ser utilizado na sua empresa. Então continue com a gente e saiba como ter uma gestão integrada empresarial!

Pós-venda de sistemas: como estabelecer as obrigações da empresa

Na hora de vender licenças/acessos aos sistemas, é fundamental compreender que o processo não acaba quando o cliente assina o contrato e adquire o plano. O que vem após esse momento também é importante e define, inclusive, a permanência de cada pessoa junto ao negócio. O pós-venda de sistemas, portanto, é fundamental.

Porém, ele precisa ser planejado da maneira correta, de modo a deixar as regras claras e evitar prejuízos para o empreendimento ou para o cliente. Definir as regras e as obrigações da empresa, portanto, é fundamental.

Quer saber como fazer? Então continue lendo e descubra!

Por que é importante estruturar o pós-venda?

O pós-venda é relevante porque ajuda a garantir a melhor utilização dos recursos por parte do consumidor, de modo a favorecer a obtenção de bons resultados com o sistema.

O customer success — ou sucesso do cliente — está diretamente relacionado à satisfação e à permanência de quem contrata. Obtendo ótimos resultados com o sistema, é provável que a pessoa tenha um relacionamento mais longo, consuma outras soluções e faça upgrade para planos melhores.

Portanto, é papel do pós-venda facilitar esse grau máximo de satisfação e de utilização correta dos recursos. Quando ele é feito de forma estruturada, todos recebem o mesmo nível de serviço e a empresa não oferece nada além daquilo que ela é capaz.

Quais são os riscos que devem ser considerados?

Ao mesmo tempo, é importante considerar os riscos envolvidos nesse processo. Sem um bom planejamento quanto a esse elemento, há chances de o empreendimento se ver diante de um pós-venda de sistemas que promete mais do que cumpre.

Caso isso aconteça, o resultado é que os clientes ficarão insatisfeitos com a marca e poderão até se tornar detratores. Com pessoas falando mal do seu negócio, os prejuízos podem ser imensos.

Além disso, a falta de estruturação nesse sentido aumenta as chances de que o consumidor ache que tem direito a um determinado suporte, quando, na verdade, essa nunca foi a ideia da marca.

O que deve constar no contrato de pós-venda de sistemas?

Para evitar desencontros, insatisfação e excesso de exigências, o ideal é que o pós-venda de sistemas seja estabelecido em contrato. Assim, o cliente saberá, exatamente, o que esperar após fazer a contratação.

Nesse cenário, há duas questões principais que devem estar claras:

Oferta de suporte

Alguns sistemas oferecem suporte 24 horas em todas as versões, enquanto outros, apenas nos planos mais caros. Há, também, diferentes modalidades de atendimento nesse sentido, podendo acontecer online, por telefone e até presencialmente.

Para evitar que o empreendimento tenha que oferecer mais do que pretende, o contrato deve estabelecer qual é o nível de suporte disponível, os meios de contato e como ele será oferecido.

Deixando tudo às claras, quem compra ou contrata saberá, exatamente, o que e até qual nível poderá contar com a empresa.

Obrigações após a venda

Outro ponto fundamental é a definição do que o estabelecimento é obrigado a realizar após a assinatura do contrato.

Em muitos casos, há a oferta de consultoria de implantação da solução de forma gratuita. Em outros, esse é um aspecto que precisa ser pago por fora.

Há outras questões associadas, como oferta de acesso a versões atualizadas e lançamentos, prioridade de aquisição das novidades e assim por diante. Tudo isso deve ser definido de acordo com os interesses e possibilidades do empreendimento.

Com tudo deixado às claras, há um alinhamento de expectativas sobre o momento após a contratação, evitando surpresas desagradáveis.

O pós-venda de sistemas deve ser bem estruturado, com as obrigações da empresa definidas previamente. Assim, o cliente sabe o que esperar e fica muito mais satisfeito.

Para melhorar todos os processos empresariais, a tecnologia pode ser uma grande aliada. Por isso, aproveite para ler e saber como dar início à transformação digital do negócio.

A intranet morreu: a nova era da comunicação interna nas empresas

Cerca de duas décadas após surgir como uma excelente solução para a comunicação interna das empresas, a intranet começa a agonizar.

Sua concepção baseada no armazenamento e controle do conteúdo enfrenta, hoje, a forte concorrência de outras ferramentas mais alinhadas ao ambiente colaborativo em que vivemos: as redes sociais colaborativas e os sistemas de comunicação integrada. Entenda, agora, o porquê desta mudança!

A intranet  – Concepção antiga

A intranet se popularizou, no final dos anos 1990, como uma eficiente ferramenta para publicação de conteúdo. Instalada nos servidores das empresas, também tem como função promover a integração com os demais sistemas e com os serviços oferecidos pela organização.

Somente nos últimos anos, a intranet tem incorporado ferramentas que atendem ao espírito colaborativo que se sobrepõe na web, porém com claras limitações resultantes da sua concepção.

A intranet se notabiliza por uma série de características que, hoje, contribuem para sua obsolescência, como custos, preocupação com a segurança e o baixo nível de engajamento que ela proporciona.

 

transformacao digital ebook

Sistemas grandes e caros

Esta é uma marca registrada da intranet. Com seus sistemas de grande porte, ela demanda um considerável investimento de instalação, bem como o custo dos softwares e hardwares para garantir seu funcionamento. Há, ainda, a necessidade do desenvolvimento e treinamento das equipes que ficarão responsáveis pela sua gestão.

Não raro, a manutenção de uma intranet na empresa exige a dedicação de uma equipe especializada no seu gerenciamento, o que reforça a imprescindibilidade de investimentos consideráveis para manter o sistema ativo.

Riscos à segurança

Na intranet, estão armazenados todos os sistemas e documentos da organização. Alguém com acesso livre a todas as áreas pode causar um belo estrago à integridade das informações corporativas ou mesmo ao funcionamento de processos organizacionais. Por isso, a intranet precisa ser protegida por uma rigorosa política de segurança, com controle de permissões de acesso aos diferentes níveis de informação.

Esse indispensável zelo pela segurança agrava o engessamento da intranet, comprometendo a agilidade e o dinamismo que se exige, atualmente, em qualquer área de atuação.

Redes sociais corporativas

Mais alinhadas ao perfil colaborativo que toma conta do mercado de trabalho, as redes sociais corporativas se apresentam como a evolução da intranet. Armazenadas em nuvem, com baixos custos de instalação e manutenção, as redes sociais estimulam a produtividade e o engajamento dos colaboradores.

Por permitir o diálogo e a troca de informações em tempo real, as redes sociais são propulsoras do ambiente colaborativo. Além disso, elas dependem menos dos controles e processos de TI que engessam a intranet. O gerenciamento dos fluxos fica na mão dos gestores e dos próprios colaboradores.

Públicos variados

Outra vantagem das redes sociais corporativas é a perspectiva de facilitar a comunicação também com diversos públicos. Elas permitem desenvolver interfaces também com clientes e fornecedores externos, criando novas possibilidades de negócios.

Enfim, a evolução da intranet para as redes sociais corporativas parece ser um caminho sem volta, que deverá modernizar a comunicação interna das organizações. Se isso ainda não é uma realidade na sua empresa, provavelmente acontecerá em breve.

Agora que você conhece um pouco melhor sobre a nova era da comunicação interna nas empresas, confira também algumas novidades na área de recursos humanos e esteja mais cada dia mais capacitado para o mundo empresarial.

,

Darwin, Evolução e Transformação Digital

Charles Darwin e Transformação Digital ?

Charles Darwin (1809-1882 ) foi um naturalista inglês, autor do livro “Da Origem das Espécies”. Formulou a teoria da evolução das espécies, anteviu os mecanismos genéticos e fundou a biologia moderna. É considerado o pai da “Teoria da Evolução das Espécies”.

O que isso tem a ver com a sua empresa exatamente neste momento?

Pergunta: Você sabe porque Empresas Gigantes como MESBLA, MAPPIN, OLIVETTI, BLACKBUSTER, KODAK, XEROX, entre várias outras que simplesmente desapareceram ou são praticamente insignificantes hoje?
Resposta: Elas não agiram com a velocidade necessária diante da Tecnologia e as mudanças e evoluções que foram ditadas pelos seus mercados e as necessidades novas criadas pelos clientes. Mesmo sendo as lideres absolutas dos seus respectivos setores, elas ainda assim desapareceram rapidamente do cenário pois não souberam acompanhar a tecnologia se posicionar perante as mudanças que apareceram. Desta forma viraram verdadeiros “fosseis” respeitáveis do passado…

 

Não são as espécies mais fortes que sobrevivem, nem as mais inteligentes, e sim as mais suscetíveis a mudanças.
Charles Darwin.

 

Mas o que Transformação Digital tem a ver com Evolução das Espécies?

Imagine você, em um dia comum, tomando um café ou bebendo uma cerveja a noite em algum local com seus amigos e de repente, se dá conta que esqueceu que no dia seguinte iria a uma importante festa e que tinha que comprar salada, carne, cerveja e um presente. A festa era importante e a aniversariante uma grande amiga ou parente que sempre lembra de você em todos os eventos !  E já eram 21;30 da noite e você não teria como ver preços, locais, comprar o presente e ir buscar antes da festa !….

Neste momento você calmamente pega seu SmartPhone, abre o Aplicativo do Pão de Açúcar( *), escolhe a salada, carne e bebidas, já faz o pagamento pelo seu Paypal ou cartão de credito já seguramente cadastrado no aplicativo, agenda a entrega para o local da festa que chegará fresquinho e no horário, tudo isso você gastou por volta de 5 minutos, logo depois acessa o Aplicativo da Giulina Flores(*), escolhe um lindo arranjo de flores, um cartão com textos de aniversários, personaliza ele na hora, enquanto toma um gole da sua cerveja ou café, agenda a entrega para o dia seguinte, paga com seu link do Paypal ou Cartão de Crédito e seguramente fecha seu SmartPhone e continua sua reunião tranquilamente com seus amigos.!

Bom, esse futuro, já existe e você pode fazer isso HOJE mesmo!

 

“Sim, mas na minha empresa eu não vejo como fazer essas automações..”

 

Será que não? Quais são as informações que seus clientes, fornecedores, colaboradores necessitam e sempre precisam ligar na empresa, ou enviar um e-mail pedido, ou mesmo esperar chegar as 08.00hs da manha do dia seguinte para solicitar para alguém ou departamento de sua empresa?

Será que grande parte destas informações não poderiam estar estruturadamente acessível ?  Neste momento, enquanto eu escrevo esta matéria, me lembrei que precisava comprar passagens e alugar um local para um grande e importante evento de Marketing que vamos participar em Florianópolis em Outubro. Já reservei o VOO e Aluguei uma casa para 6 pessoas usando AirBnb(*) e Submarino Viagens(*).

E você, o que pode fazer pelo seu cliente para tornar a vida dele mais próxima de você? Mais prática e mais Digital?  Será que seus concorrentes já não estão pensando exatamente nisso agora?

Preparei pessoalmente um e-Book gratuito (clique aqui para Download) falando um pouco de como e porque criar estrategias para ajudar o entendimento do próximo passo.

 

Um forte e Fraternal Abraço !

Marcus Feixas

,

Como alcançar metas e objetivos da empresa?

Uma boa administração sempre será o principal alicerce de um empreendimento. Por isso, definir metas e objetivos da empresa é de suma importância para alcançar o sucesso do negócio. Porém, muitas pessoas têm dificuldade em gerir processos, o que impede de alcançar o êxito.

Para que você consiga melhorar sua gestão e otimizar as ações dentro da sua empresa, separamos algumas dicas. Confira:

Faça um planejamento para alcançá-las

A definição de metas e objetivos da empresa precisa de um planejamento eficiente. Isso significa que, nesse ponto, é preciso esclarecer qual é a visão da empresa, onde ela quer chegar, em quanto tempo cada meta deve ser alcançada, quais as estratégias que serão usadas para atingi-las e, claro, quais serão essas metas e objetivos.

Além disso, nesse momento também deve ser levado em consideração a situação em que a empresa se encontra e, da mesma forma o mercado. Somente assim você vai saber qual é o limite de uma meta e quais serão os métodos que deverão ser utilizados para atingi-la.

Defina metas e prazos reais

De início, você precisa definir quais serão as suas metas. Mas, além disso, suas metas e prazos precisam ser reais.

Grosso modo, as metas precisam ser possíveis de ser alcançadas e possuir um prazo aceitável para seu cumprimento. Caso contrário, você e seus colaboradores podem se sentir frustrados por não conseguir atingi-las.

Ao criar metas reais, você estimulará os seus funcionários a realizar as tarefas de uma maneira eficiente, o que torna a sua equipe ainda mais produtiva e focada.

Conheça as metas e objetivos da empresa

Todos devem estar cientes de quais são as metas da empresa. Caso contrário, ninguém vai saber para onde ir nem o que fazer para contribuir para o crescimento do empreendimento. E isso é péssimo para os negócios.

Conhecer as metas e objetivos empresa faz com que você trabalhe mais confiante e focado, sabendo que o que está sendo feito é algo que vai beneficiar a empresa.

Aprenda a priorizar tarefas

Após realizado todo o planejamento e definido suas metas, é hora de priorizar as suas tarefas. Analise quais delas possuem uma urgência maior e quais estão em atraso. Isso pode ser definido logo no início do expediente, por exemplo.

Resolver as tarefas mais complicadas no início pode ajudar a melhorar a produtividade, pois, como você já eliminou a atividade mais difícil, saberá que as demais poderão ser feitas com maior facilidade e rapidez.

Conte com o auxílio da tecnologia e de uma consultoria

A tecnologia vem para tornar os processos da empresa mais rápidos e precisos. Devido a isso, é de suma importância que você adquira um sistema ERP que garanta ao seu empreendimento melhor organização das tarefas e aumento na produtividade.

Além disso, a consultoria também se faz muito importante, pois por meio dela você vai conseguir elaborar estratégias eficazes. Com a ajuda de profissionais altamente capacitados, você pode fazer com que o seu negócio expanda e se torne referência no seu segmento.

Somente será possível alcançar as metas e objetivos da empresa se você souber planejá-las e elaborar estratégias eficientes para alcançá-las. É importante se lembrar de que a equipe também deve estar empenhada nessa missão. Por isso, é essencial que você verifique se todos estão cientes de quais são os objetivos do seu negócio.

Gostou das nossas dicas? Que tal recebê-las na sua caixa de entrada? Se você gostou da ideia, assine agora a nossa newsletter e fique por dentro de todas as nossas novidades!

[poll id="2"]

 

 









, ,

Por que usar sistema integrado de gestão empresarial?

A cada dia a tecnologia tem se tornado um dos maiores aliados das empresas, e uma ferramenta que tem se destacado é o sistema integrado de gestão empresarial. Chamados simplesmente por sistemas ERP (Enterprise Resource Planning), esses softwares visam diminuir o tempo de execução das tarefas, facilitar processos e melhorar a comunicação interna da empresa.

Os sistemas integrados de gestão empresarial são muito conhecidos no meio corporativo por darem suporte às mais diversas empresas em termos administrativos, comerciais, financeiros, entre outros. Para esclarecer melhor, separamos neste post os motivos que mostram por que sua empresa deve utilizar um sistema ERP. Confira a seguir!

Eliminação da necessidade de sistemas múltiplos

Como o ERP é um sistema integrado que armazena todas as informações da empresa, e possibilita que as empresas realizem e acompanhem os processos por meio dele, elimina-se a necessidade do uso de outros sistemas para controle. O sistema integrado de gestão empresarial é uma ferramenta muito robusta, não carecendo de controles paralelos ou do uso de planilhas, como é comum na maioria das empresas.

Padronização de processos e tarefas

Ao utilizar o sistema, as empresas garantem que todas as tarefas e registros sejam realizados por meio dele, desta forma consegue-se padronizar os processos da empresa. Essa padronização facilita o controle de informações, garante que os outputs de cada etapa sejam condizentes com as seguintes e elimina a divergência de dados na empresa.

Redução dos custos de treinamento

Como o sistema integrado de gestão empresarial elimina a necessidade do uso de outros softwares, então não é necessário que a empresa proporcione treinamento para os funcionários em diversas plataformas. Os gerentes precisam investir apenas em treinamentos do sistema ERP, reduzindo os custos e garantindo maior disponibilidade dos colaboradores para o serviço.

Foco no core business da empresa

O core business, ou “coração da empresa” refere-se à razão de ser ou existir da empresa, ou seja, a sua atividade principal. Utilizando um sistema ERP a empresa consegue personalizá-lo de forma a direcionar os esforços e tarefas para que a atividade principal seja desempenhada e alcance bons resultados. Isso ajuda no aperfeiçoamento e na qualificação do negócio.

Melhor acessibilidade

A plataforma integrada permite acesso por todos os computadores da empresa — bastando apenas que possuam o software instalado. Desta forma, todos os funcionários têm acesso aos dados da empresa, facilitando a troca de informação entre os setores e evitando a divergências ou dados incoerentes.

Garantia da confiabilidade das informações

Uma das grandes vantagens do ERP é o fato dele reduzir significativamente as chances de erros. O sistema permite a configuração de inputs, evitando que dados errados sejam inseridos, faz todas as contas e envia as informações necessárias de forma automática. Reduzindo os processos manuais, tem-se maior confiabilidade das informações, garantindo a qualidade e precisão dos dados.

Além de todos os motivos apresentados, o sistema integrado de gestão empresarial possibilita diversas outras vantagens, como:

  • eliminação da manutenção de múltiplos sistemas;
  • interação com um único fornecedor;
  • redução do retrabalho;
  • redução da mão de obra;
  • maior controle sobre a operação da empresa;
  • eliminação da necessidade de interfaces entre sistemas;
  • redução dos custos com informática;
  • acesso a informações para toda a instituição;

Percebeu como um ERP pode mudar sua empresa e melhorar significativamente seus processos? Para saber mais, entre em contato conosco e veja tudo o que essa ferramenta pode fazer pelo seu negócio!









,

[e-Book] – ERP, Guia para tirar suas duvidas

Guia ERP

Em um momento de tantas mudanças rápidas e que a cada minuto mais informações são colocadas na sua frente, não podemos deixar os conceitos primordiais que alavancaram tantas mudanças. O ERP é um dos seus protagonistas !

Faça o Download do seu e-Book 

 

Neste guia gratuito, você terá :

  • Entenda o que é um sistema ERP
  • Saiba como é divido um sistema ERP
  • Conheça as vantagens do sistema ERP
  • Aprenda como implementar ERP com eficiência
  • Descubra quanto custa um sistema ERP
  • Conclusão

 

Boa Leitura !









, ,

Consultoria empresarial: saiba como escolher a melhor opção

Você já ficou na dúvida sobre qual decisão tomar na empresa e gostaria de ter um profissional ao lado para ajudar? Se a resposta for sim, então você já precisou de uma consultoria empresarial.

A consultoria empresarial auxilia a empresa a tomar as melhores decisões, abrir novos mercados, descobrir quais são os pontos fracos do negócio e até mesmo a encontrar os melhores talentos para compor uma equipe. Repare como são vários os benefícios de uma consultoria empresarial.

O difícil para o empresário, porém, é escolher a melhor consultoria. São tantas opções no mercado que deixam qualquer diretor confuso. Marketing? Gestão? Finanças? Recursos Humanos? Qual tipo de assessoria será a melhor opção?

Neste post, vamos dar algumas dicas para escolher a melhor consultoria empresarial e acabar com essa dúvida de uma vez por todas. Boa leitura!

Entenda bem o que sua empresa precisa

Para você contratar uma boa consultoria empresarial, o primeiro (e mais importante) passo é saber exatamente do que sua empresa precisa. Antes de contatar qualquer consultor, faça um diagnóstico interno. Identifique qual é a falha da sua empresa e o que você precisará que o consultor faça.

Com base nesse diagnóstico, você vai ter condições de contratar o profissional ideal para lhe ajudar. Vamos supor que sua empresa esteja com dificuldades no fluxo de caixa, apesar de estar conquistando mais e mais clientes. Nesse caso, o ideal seria contratar um consultor financeiro. Ele vai mostrar como reverter a situação e como transformar clientes em lucro.

E se o problema for outro? Bom, há várias situações. Se você vender pouco, contrate um consultor de marketing. Se tiver dificuldade com mão de obra, procure uma consultoria em recursos humanos. O importante é fazer o diagnóstico com precisão para receber a consultoria adequada para cada caso.

Fique de olho no atendimento da consultoria empresarial

Quando iniciar os primeiros contatos com uma consultoria, considere a qualidade do atendimento. Uma boa consultoria preza pelos seus clientes. Veja se a empresa foi rápida e eficaz no atendimento, se tirou suas dúvidas e se respondeu seus e-mails com agilidade.

Caso contrário, é melhor nem dar continuidade ao processo. Se uma consultoria não atendeu você corretamente durante essa etapa, existe uma chance muito grande de o atendimento piorar ainda mais ao longo de todo o projeto de consultoria. Não deixe isso acontecer.

Cuidado com os preços baixos

Qualidade sempre tem um preço. Essa máxima vale também para o ramo de consultoria. Se alguma empresa fez uma oferta muito abaixo do mercado, desconfie! Preços baixos podem significar que os consultores não têm experiência nem capacidade para atender as suas demandas.

Em geral, as consultorias praticam faixas de preços semelhantes, guiadas pela lei do livre mercado. Quem mantém os valores muito abaixo não conseguiu se firmar pela qualidade e busca um diferencial apenas no preço do serviço oferecido.

Converse com outros clientes da consultoria

Depois de encontrar uma consultoria bacana, que fez uma proposta legal para você, é hora de dar o próximo passo. Nessa etapa, o ideal é saber a opinião de clientes e ex-clientes da consultoria.

Fale com eles. Peça a opinião sobre os trabalhos dos consultores e verifique se a consultoria trouxe resultados práticos. Se as respostas forem positivas, siga em frente. Caso contrário, pense novamente. Afinal, você poderá ser o próximo cliente insatisfeito da lista.

Saiba quem vai executar o projeto

Essa é uma questão importante. Em muitos casos os clientes fecham contrato com um profissional de consultoria, mas na hora de executar o projeto ela destaca outro profissional para trabalhar, que você não conhecia.

Para evitar essa situação, questione quem vai lhe atender, quem será o consultor que estará no dia a dia com você. Essa pergunta simples vai evitar muita dor de cabeça ao longo do projeto.

Gostou das dicas de como contratar a melhor consultoria empresarial para você? Então, entre em contato conosco e saiba mais sobre esse serviço!









,

Gestão da cadeia de suprimentos: por que e por onde começar?

Cumprir os objetivos organizacionais é um desafio vinculado ao desempenho e à integração de todos os setores de uma empresa. E, nesse contexto, a gestão da cadeia de suprimentos é um procedimento determinante para o sucesso.

A cadeia de suprimentos (Supply Chain) consiste em um conjunto de diferentes fluxos e relações estratégicas entre empresas, fornecedores, fabricantes, distribuidores, varejistas e clientes, relacionado ao gerenciamento integrado de todos os parâmetros envolvidos no processo produtivo.

Administrar corretamente essa complexa rede de informações reduz custos e agrega qualidade à produção. Você quer melhorar a gestão financeira do seu negócio? Então, confira 5 estratégias para gerenciar a cadeia de suprimentos!

1. Integração com os fornecedores-chave

Os fornecedores são agentes importantíssimos na cadeia produtiva. Portanto, é essencial estabelecer uma comunicação eficiente e favorecer o tráfego de dados com esse público. Para otimizar os fluxos de informação, recorra aos sistemas eletrônicos (B2B ou e-Procurement) e ao suporte de um bom departamento de TI.

A integração apropriada com os fornecedores-chave possibilitará a redução de custos, a flexibilidade de prazos, a minimização de falhas, entre outros benefícios. Por isso, se for necessário, reveja e modernize seus mecanismos corporativos.

2. Atenção às necessidades dos clientes

Estar atento às carências e expectativas dos consumidores proporciona o entendimento necessário para planejar uma rede logística funcional. É preciso identificar as demandas dos clientes-chave para definir ― ou modificar ― a localização e a quantidade de centros de distribuição.

Também é importante aperfeiçoar o gerenciamento desses canais de distribuição, atualizando os métodos de operação das unidades. Avalie e considere possibilidades relacionadas à terceirização, à automação logística e aos sistemas de informação.

3. Otimização na gestão de estoques

Investir no aprimoramento da gestão de estoques é trabalhar com o ponto fraco da maioria das empresas. Normalmente, deficiências no gerenciamento de produtos, matérias-primas e demais componentes resultam em significativas perdas financeiras.

Abandone planilhas eletrônicas e recursos ultrapassados. Implantar um sistema especializado em gestão de estoques, associado a metodologias eficientes, proporcionará melhorias nos serviços prestados e evitará gastos desnecessários.

4. Implantação do Lean Supply Chain

Você já ouviu falar em Lean Supply Chain? Trata-se de uma metodologia elaborada para evitar desperdícios e eliminar atividades que não agregam valor à cadeia produtiva. Tem como objetivo entregar o produto final ao consumidor na quantidade requerida, cumprindo prazos, reduzindo custos e garantindo os níveis de qualidade.

Todavia, o sucesso na implantação do Lean Supply Chain requer paciência. É um processo contínuo, de longo prazo, que deve ser implementado tanto no âmbito logístico como administrativo.

5. Utilização do S&OP

O S&OP (Planejamento de Vendas e Operações) é um processo tático e colaborativo, desenvolvido para prever as oscilações da cadeia produtiva e reduzir as perdas de receita. Ele auxilia as organizações a alcançarem um equilíbrio entre suprimentos e demandas, aumentando o nível dos serviços.

Um bom planejamento de S&OP baseia-se em três fatores: previsão estatística, gestão de eventos e colaboração. Pesquise os métodos e experimente.

Essas foram algumas sugestões sobre como aprimorar a gestão da cadeia de suprimentos na sua empresa. Você quer conquistar resultados nunca vistos? Então, lembre-se: a otimização dos processos corporativos depende de metodologias eficientes e um bom suporte tecnológico. Invista na automatização!

Quer mais dicas sobre gestão estratégica? Então, confira esse artigo sobre como gerenciar uma empresa de prestação de serviços!









,

Afinal, qual é o momento exato para investir em ERP?

Não há dúvidas de que 2017 se desenhou como um ano ruim para a economia, mas você não pode ficar pensando nisso o tempo todo. Em vez de reclamar da crise, aproveite o momento do mercado para arrumar a casa e se preparar para o boom em 2018. Afinal, as previsões sobre o ano que vem são bem melhores e animadoras. Quem estiver preparado, vai lucrar bastante.

Uma das formas mais importantes de se preparar durante a crise é investindo em tecnologia. Nesse quesito, os Enterprise Resource Planning (ERP) são peças fundamentais. Nenhuma empresa vai para frente sem um bom ERP para aperfeiçoar a gestão.

Neste texto, vamos explicar para você qual é o momento certo para investir em um novo ERP e quais são os sinais de que você está precisando de um software desses com urgência.

Demora em estruturar os dados da empresa

Se você percebe que a sua equipe leva muito tempo para compilar informações, elaborar relatórios e produzir gráficos, é porque está na hora de comprar um ERP. O software integra as informações de diferentes áreas da companhia. Na prática, derruba as paredes entre os departamentos e faz a comunicação girar mais rápido.

Com um ERP, você terá em suas mãos planilhas, relatórios e gráficos sobre o desempenho da empresa em pouco tempo. É mais eficiência para tomar decisões assertivas e menos horas de trabalho de seus funcionários para levantamento das informações.

Erros constantes

Os seus funcionários cometem muitos erros operacionais? Então este é um motivo para investir em um ERP. Erros operacionais não precisam ser grandes equívocos. Podem ser um dado digitado errado na planilha Excel, problema na contagem de produtos ou atraso na emissão de notas e no cumprimento de prazos, por exemplo.

Com o ERP, a quantidade de erros cai bastante. Isso porque o software ajuda a automatizar boa parte das tarefas diárias, impedindo erros humanos.

Falta de segurança das informações

Se você percebe que as informações da empresa não estão seguras, o ERP vai conseguir resolver. Muitas empresas ainda guardam pilhas e pilhas de papel impresso ou deixam arquivos digitais importantes (como fluxo de caixa) registrados em um ou dois computadores. Não seja negligente com a sua segurança.

Os ERPs são softwares projetados para aumentar o nível de cuidado com as informações nas empresas. Isso porque, muitos deles, deixam os dados salvos em grandes servidores web (cloud). Além disso, limitam quais usuários podem acessar determinados tipos de informação.

Crescimento acentuado é motivo para uso de um ERP

Se você percebe que sua empresa está crescendo rapidamente e os funcionários não dão conta de tanto trabalho, é hora de comprar um ERP. O software automatiza várias tarefas diárias, estrutura processos e melhora a produtividade e eficiência.

Quando se investe em um ERP de qualidade, o empresário economiza na contratação de novos funcionários e racionaliza os recursos financeiros para suportar o crescimento da empresa.

Precisa de um sócio ou investidor

O processo de buscar um novo sócio ou investidor também pode ser auxiliado por um ERP. O software traz uma série de ferramentas para que a empresa aplique boas práticas de governança. Essa melhora na qualidade da gestão também impacta a imagem da empresa no mercado e dá mais transparência durante a negociação.

Então, está na hora de comprar um ERP para sua empresa? Não deixe de entrar em contato conosco. Podemos ajudar você neste projeto!