Novidades da empresa

RM, PROTHEUS ou DATASUL Qual ferramenta da TOTVS escolher?

, ,

Deixa eu
perguntar uma coisa para você que está lendo esse artigo agora mesmo “Qual o
melhor carro para comprar?” ou “Qual o melhor filme para assistir hoje?”.  Claro que você tem uma resposta e claro também
que as suas respostas podem ser completamente diferentes da expectativa de quem
está perguntando. E sabe quem está certo ou errado? Ninguém!

A minha
vida inteira gostei de filmes de ação ou futurismo plausível tipo “2001 uma
odisseia no espaço” (esse Futurismo já inclusive é passado!) e a também da saga
Alien, pois quem não alucina sobre criaturas extraterrenas dotadas de poderes
absurdos que podem existir em um local do espaço muito longe da terra (Graças a
Deus né!).

Isso mostra
que cada um tem um gosto ou preferência para filmes e carros e que não existe
resposta correta e pronta que satisfaça completamente a todos. Mas, no caso de
Sistemas Empresariais, funciona da mesma forma?

A reposta é SIM e NÂO ! !

Desculpe a redundância
prolixa na resposta, mas vou explicar o porquê da resposta SIM e porque da
resposta NÃO, assim talvez consiga me redimir com você que lê esse artigo
procurando uma resposta objetiva. E Sim, eu vou dá-la.

Para exemplificar, vamos fazer uma analogia sobre carros (apenas para citar um exemplo). Eu gosto de carros grandes, espaçosos e com ar condicionado (claro), mas não valorizo por exemplo rodas esportivas. Prefiro as rodas tradicionais que além de mais baratas, para mim mantem o estilo do carro que a pessoa que projetou queria passar. Bom, isso é correto? É o melhor? Vamos analisar um pouco mais.

Um carro
grande é planejado para caso você precise de espaço para carregar mais pessoas,
mais pesos e mais volume, claro que ele vai gastar um pouco mais de gasolina,
mas vai te compensar se você andar muitos quilômetros por causa da estabilidade
e principalmente de quantidade de pessoas e coisas que você pode carregar nele.
Você certamente vai chegar no seu destino menos cansado e sabendo que ainda
poderia viajar muito mais com o mesmo veiculo sem precisar fazer mais de uma viagem.
Bom, certamente vai gastar um pouco mais de gasolina com isso. Agora, e se você
não pretende viajar para muito longe? Ou suas viagens geralmente levam pouca
gente ou pouca bagagem? Neste caso, você estaria rindo de mim por escolher ou
preferir um carro grande e que custa mais caro ou mesmo gasta mais gasolina
correto?

No caso da
escolha do seu sistema ERP é exatamente a mesma coisa.

OS ERP(Sistemas
de Gestão Empresariais) são basicamente 
um motor do crescimento de sua empresa, como um carro, se você não
souber para onde esta indo, não adianta o carro ser bom. Se você sabe onde esta
indo e a velocidade não pode ser rápida, o carro não precisa ser esportivo. Se você
pretende ir bem longe e levar muita gente com você, certamente você vai precisar
de um carro maior que chegue lá, pois se você escolher agora um carro menor,
quando decidir fazer a viagem mais longa certamente vai ter que trocar de carro.

Neste
contexto de comparação, Qual ERP ESCOLHER então?

A TOTVS ® é detentora de algumas marcas, mas neste artigo vou explanar rapidamente um pouco da história de 3 Marcas (RM, DATASUL e PROTHEUS), para ajudar a responder a pergunta que fizemos no título desse artigo sem mais delongas.

Fonte: Site Totvs Relacão com Investidores.

A RM® Sistemas

A história da RM começa em 1985, quando Rodrigo Diniz (o socio fundador da RM) trabalhava em uma construtora onde era encarregado de calcular a Folha de Pagamento da Empresa. Logo que Rodrigo passou no vestibular ganhou uma calculadora e logo teve a ideia de fazer “programinhas” na calculadora para agilizar o calculo da Folha de Pagamento. Resumindo, esse era o início da RM Sistemas. A RM® foi fundada em 1986 em BELO HORIZONTE com o nome RDM processamento de dados como sendo a empresa que tinha desenvolvido um sistema inicial de calculo de Folha de Pagamento de muito sucesso. Depois de alguns anos, o sistema cresceu e virou em ERP completo até que em 2006 o controle acionário da RM passou para as mãos da Holding de nome TOTVS, onde virou um produto do seu portfólio. A RM Sistema recebeu vários prêmios de 2004 até 2006 como a “melhor empresa de Software do Brasil”  com seu carro chefe de Gestão de Pessoas” e até hoje, tem um expertise incontestável nesta questão.A

DATASUL®

Fundada em 1978 por
Miguel Abuhab, para assessorar empresas do setor
industrial
 na implantação de centros de processamentos de dados,
a companhia se estabeleceu como pioneira no fornecimento de softwares de
automatização de sistemas empresariais no país. Miguel após vender a empresa
para a TOTVS, comprou outra empresa de T.I. que atende a grandes clientes
internacionais que segue o segmento de supply chain.

Em 1996 a Datasul apostou na consolidação dos PCs como ferramenta de gestão empresarial e desenvolveu o primeiro software integrado de gestão administrativa e de controle de produção para microcomputadores


Em 1989 lançou
o Magnus, um software aplicativo literalmente integrado para gestão
empresarial, escrito em linguagem de quarta geração e banco de dados relacional
Progress.


O Protheus®

O Sistema nasceu em 1991 com o nome Siga Advanced® pelos seus proprietários Laercio Consentino e Ernesto Haberkorn. O “Siga Advanced” foi criado com o objetivo de ser uma aplicação inicialmente tipicamente de BackOffice e Controladoria Financeira e Contábil com módulos de produção supplychain. Em 1999 foi desenvolvido um novo framework completamente focado em tecnologia cliente x servidor de nome Microsiga PROTHEUS. Durante esses anos, o Protheus foi aumentando sua estrutura sem desfoque do cenário Fiscal/Contabil Brasileiro, e deixando a ferramenta cada vez mais robusta em suas vertentes de SuppyChain, Chao de Fábrica e Recursos Humanos. O crescimento escalabilidade da ferramenta fizeram a empresa MICROSIGA a partir de 2004 iniciar seu ritmo de aquisições (RM, DATASUL, LOGOCENTER, entre outras) em 2005 entrou no mercado aberto BOVESPA através do seu IPO sendo a 1ª empresa no segmento a abrir mercado já com o nome de TOTVS®. Atualmente o Microsiga Protheus tem o nome apenas de PROTHEUS sendo mais uma importante marca do grupo TOTVS®

Fontes: Wikipedia e Sites WWW.TOTVS.COM.BR.

Bom, esse é
o importante resumo de uma grande história de sucesso ao qual tive (e ainda tenho)
a oportunidade de acompanhar desde seu inicio.

Ahh.. Então agora me responda. Qual o Melhor ERP para sua Empresa? Já consegue ter seu Insight de qual seria o melhor “carro” para sua viagem? Comenta aqui !

Eu sou o Marcus Feixas, 48 anos, Consultor, Empresário, Coach e antes de tudo, um vendedor de soluções focado em achar a melhor solução para meus clientes.

RM, PROTHEUS ou DATASUL Qual ferramenta da TOTVS escolher?

O que é industria 4.0?

, , ,

O que é Indústria 4.0?

Ultimamente estamos ouvindo falar muito em Transformaçao Digital e seus impactos no mundo dos Serviços em geral (vide Uber, Airbnb, Netflix, entre outros.) Mas e a industria? não entrará nesta onda de automação digital? Senhores, Bem vindo a INDUSTRIA 4.0.

Indústria 4.0 ou Quarta Revolução Industrial é uma expressão que engloba algumas tecnologias para automação e troca de dados e utiliza conceitos de Sistemas ciber-físicos, Internet das Coisas[1] e Computação em Nuvem.[2][3][4]

A Indústria 4.0 facilita a visão e execução de “Fábricas Inteligentes” com as suas estruturas modulares, os sistemas ciber-físicos monitoram os processos físicos, criam uma cópia virtual do mundo físico e tomam decisões descentralizadas. Com a internet das coisas, os sistemas ciber-físicos comunicam e cooperam entre si e com os humanos em tempo real, e através da computação em nuvem, ambos os serviços internos e intra-organizacionais são oferecidos e utilizados pelos participantes da cadeia de valor.[2]

Estas novas tecnologias trazem inúmeras oportunidades para a agregação de valor aos clientes e aumento de produtividade de processos, mas sem o enfoque adequado podem desperdiçar grandes investimentos, com poucos resultados.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Indústria 4.0

Indústria 4.0

IOT, Impressão 3D, inteligencia artificial, SynBio, etc.

Onde você esta agora? é melhor se preparar, leia abaixo um pouco mais sobre isso ou fale conosco,

1. UM POUCO DA HISTÓRIA…

Antes de falarmos sobre a indústria 4.0, vamos passar rapidamente nas revoluções anteriores.

Máquinas a vapor – indústria 1.0 ou a primeira revolução industrial iniciou aproximadamente uns 250 anos atrás com o aumento da produtividade da indústria têxtil com as fábricas mecanizadas através das melhorias de James Watt com a máquina a vapor de Newcomen no século 18.

Produção em série – Em 1913, após a introdução da linha de montagem por Henri Ford, iniciou a segunda revolução industrial, a indústria 2.0, no qual resultou em um grande aumento na produção do modelo T chegando a um volume de 15 milhões. E assim, outras fábricas começaram a aplicar as linhas de montagem para o aumento da eficiência e produtividade e redução de custos.

Sistemas automatizados – Já na indústria 3.0, nos anos 70, iniciou a montagem automatizada com a aplicação de computadores no chão de fábrica, uso de CNC em centros de usinagem, máquinas de inserção de componentes, etc, com isso os trabalhos mecânicos realizados por seres humanos começaram a ser executados por robôs computadorizados. E hoje, graças a estas fábricas altamente automatizadas nos proporcionam a oferta de smartphones, tablets e diversos produtos eletrônicos a um preço que podemos pagar.

2. O QUE É A INDÚSTRIA 4.0?

O termo indústria 4.0 foi utilizado pela primeira vez em 2011 em uma feira de Hanover, refere-se à quarta revolução industrial, e foi originada de um projeto de estratégia de alta tecnologia do governo alemão, promovendo a informatização da fábrica.

Resumidamente é um conjunto de tecnologias baseada nos conceitos e nas respectivas interações entre os sistemas cyber-físicos, a Internet das Coisas e o Big Data, assim tornando uma “fábrica sem papel”, facilitando a visão e as tomadas de decisões por humanos da fábrica inteligente.

Indústria 4.0

Indústria 4.0

Exemplo de uma indústria 4.0

Para exemplificar um cenário de indústria 4.0, vamos analisar uma usina de álcool e açúcar.

Para uma melhor compreensão, vamos dividir basicamente em 2 momentos, a primeira seria a coleta das informações e na segunda o grande sistema realizando as ações.

Dados internos e externos

  • (Dados Externo) Meteorologia – Recebeu a informação da previsão do tempo que em 3 dias haverá um grande volume de chuva.
  • (Dados Externo) Agência de Notícias – As notícias informam que o governo deverá ampliar os estoques em 15% de etanol até o final da safra.
  • (Dados Externo) Bolsa de Mercadorias e Futuro – O mercado está sinalizando que o preço do açúcar poderá subir até 3% até o final da safra.
  • (Dados Externo) Fornecedor – Com o aumento da produção, o fornecedor informou que não conseguirá atender a demanda projetada.
  • (Dados Interno) Sistema de Gestão da Produção – Na próxima semana, o sistema de gestão da fábrica, com os dados recebidos dos coletores das máquinas, informa que será preciso realizar paradas planejadas de manutenção preventiva para duas máquinas.

Ação

  • Decisão – Após os dados recebidos, o “grande sistema” inicia a tomada de decisão de forma automática com os parâmetros previamente informados pelos gestores.
  • Ações do “grande sistema”
  • Devido as chuvas previstas nos próximos dias e o aumento da demanda do governo, o sistema automaticamente inicia as intervenções e os ajustes necessários, como a configuração dos novos setups nos CLPs, para o aumento da produção e da produtividade.
  • Com a previsão do aumento do preço do açúcar no mercado futuro, o caldo primário também é direcionado para o aumento da produção de açúcar.
  • É disparado o processo de compra de um fornecedor alternativo e também a reserva dos insumos para o aumento da produção.
  • Com o aumento da produção, as paradas planejadas para as manutenções preventivas são reprogramadas para uma data, afim de atender a maior demanda, não afetando a disponibilidade das máquinas.

Agora imagine que todas estas informações foram consolidadas por um “grande sistema” e que ele próprio já toma decisões de forma autônoma, sem a interferência direta das pessoas, mas também poderia oferecer possíveis soluções para os gestores. Isto é um simples exemplo e conceito de uma indústria 4.0.

Portanto na indústria 4.0, as tomadas de decisões podem ser mais assertivas e de forma autônoma, sempre baseado em dados internos (dentro da fábrica) e externos (fora da fábrica).

3. FATORES QUE DEFINEM A INDÚSTRIA 4.0 

  • Interoperabilidade
  • Virtualização
  • Descentralização
  • Tempo Real
  • Orientado a serviço
  • Modularidade

Portanto, na indústria 4.0 temos:

  • Sistemas e sensores inteligentes que informam para as máquinas como elas devem trabalhar e como estarão envolvidos em cada estágio do processo de manufatura, assim fornecendo os dados, como o feedback, afim de obter um maior controle da produção.
  • Os processos devem ser auto-gerenciados em um sistema modular descentralizado. Sistemas embutidos inteligentes começam a trabalhar em conjunto com a troca de dados e informações, de forma direta e também através da ”nuvem” na Internet. Com isso, os sistemas de controles industriais serão mais complexos e distribuídos, possibilitando um processo mais flexível e bem minucioso dos processos.
  • Os sistemas centralizados rígidos de controle das fábricas cedem agora seu lugar para inteligência descentralizada, com a comunicação máquina com máquina (M2M) no chão de fábrica.

A indústria 4.0, ainda é mais um conceito do que uma realidade, mas está sendo motivada por três grandes mudanças no mundo industrial produtivo:

  • Avanço exponencial da capacidade dos computadores.
  • Imensa quantidade de informação digitalizada – Big Data
  • Novas estratégias de inovação (pessoas, pesquisa e tecnologia)

Em um curto espaço de tempo veremos todas as tecnologias interligadas e propiciando as tomadas de decisões no conceito da indústria 4.0.

4. REVOLUÇÃO OU EVOLUÇÃO? 

As revoluções industriais não ocorreram em apenas um dia, e sequer reconhecida como tal na época. A Indústria 4.0 pode ser revolucionário ou evolucionário, independente disso, isto é uma consequência natural da comunicação M2M (Máquina para Máquina) e IOE (Internet de todas as coisas) na automação do chão de fábrica, assim proporcionando uma produção com um menor custo e com uma melhor rentabilidade.

O certo é que a produção industrial será muito mais eficiente e certamente mais lucrativa, portanto o melhor que podemos fazer é tornar isto uma realidade.

 

 

 

 

O que é Transformação Digital ?

O que é a transformação digital?

Por que a transformação digital importa? 

O que faz um quadro transformação digital se parece? 

Qual o papel que a cultura desempenham na transformação digital? 

O que impulsiona a transformação digital? 

Como posso começar a transformação digital? 

Onde posso aprender mais?

Transformação digital

Transformação digital

Transformação digital é imperativo para todas as empresas, desde o pequeno para a empresa. Essa mensagem vem através alto e bom som a partir aparentemente cada palestra, painel de discussão, artigo ou estudar relacionado à forma como as empresas podem manter-se competitiva e relevante como o mundo se torna cada vez mais digital. O que não está claro para muitos líderes de negócios é o que significa a transformação digital. É apenas uma maneira cativante para dizer se movendo para a nuvem? Quais são os passos específicos que precisamos tomar? Será que precisamos para projetar novos postos de trabalho para nos ajudar a criar um quadro para transformação digital, ou contratar um serviço de consultoria? Quais são as partes de nossa estratégia de negócios precisa mudar? Isso realmente vale a pena?

Este artigo visa responder a algumas das perguntas mais comuns ao redor transformação digital e fornecer clareza, especificamente para os CIOs e líderes de TI, incluindo muitas citações de especialistas transformação digital. Porque a tecnologia desempenha um papel crítico na capacidade das empresas a evoluir com o mercado e continuamente aumentar o valor para os clientes, os CIOs devem liderar suas organizações através da transformação digital [ Clique aqui Para Facebook].

O que é a transformação digital?

Porque transformação digital vai olhar diferente para cada empresa, pode ser difícil identificar uma definição que se aplicaria a todos. No entanto, em termos gerais, definimos transformação digital como a integração da tecnologia digital em todas as áreas de uma empresa, resultando em mudanças fundamentais de como as empresas operam e como elas entregaram valor aos clientes. Além disso, é uma mudança cultural que exige que as organizações de desafiar continuamente o status quo, experimentar muitas vezes, e se sentir confortável com o fracasso. Isso às vezes significa andar longe de processos de negócios criados em longa data onde as empresas foram construídas em detrimento de  novas práticas que ainda estão sendo definidos. [ Clique aqui Para Facebook].

 

[Como os processos são importantes na transformação Digital  ? Leia nosso artigo relacionado, [Processos e Transformação Digital]

 

Por que a transformação digital importa?

Há uma série de razões que uma empresa pode sofrer transformação digital, mas, de longe, o motivo mais provável é que eles têm. É uma questão de sobrevivência para muitos. [ Clique aqui Para Facebook].

Howard King, em um artigo contribuíram para o The Guardian, coloca desta forma: “As empresas geralmente não iniciam a transformação por opção,  porque é caro e arriscado. As empresas passam por transformação geramente quando elas não conseguiram evoluir .”

Howard King

Howard King

John Marcante, CIO da Vanguard, também aponta isso: “Basta olhar para o S & P 500. Em 1958, as corporações dos EUA permaneceram nesse índice por uma média de 61 anos, de acordo com a American Enterprise Foundation. Em 2011, tinha 18 anos. Hoje, as empresas estão sendo substituídas no S & P aproximadamente a cada duas semanas. A tecnologia impulsionou essa mudança e as empresas que desejam ter sucesso devem entender como fundir a tecnologia com a estratégia “.

Recent studies back this up time and time again. The IDC report “FutureScape: Worldwide CIO Agenda 2016 Predictions” emphasized that, “One-third of the top 20 firms in industry segments will be disrupted by new competitors within five years,” and that it’s a matter of “transform or perish.”

No entanto, o mesmo relatório IDC continua a prever que, em 2018, “70 por cento das iniciativas de transformação digitais silos irá falhar por causa da insuficiente colaboração, integração, terceirização ou gestão de projetos.”

Transformação digital

Transformação digital

CIOs should not only care about digital transformation for the sake of their company’s survival, they should focus on securing company-wide support and collaboration to get digital transformation right – before they get disrupted by a competitor or a startup.

Mas mesmo se os líderes empresariais não acredito que eles têm de transformar, existem muitas razões pelas quais eles devem considerá-lo de qualquer maneira.

  1. Seus concorrentes estão fazendo isso. De acordo com um relatório da Forrester Research, os executivos prevêem que quase a metade de sua receita será impulsionado por digitais no ano de 2020.
  2. It will make them more profitable. According to the MIT Center for Digital Business, “Companies that have embraced digital transformation are 26 percent more profitable than their average industry competitors and enjoy a 12 percent higher market valuation.”
  3. Ele irá torná-los mais eficientes. Pesquisa mostra, “Nove em cada 10 executivos de TI afirmam sistemas legados estão impedindo-os de aproveitar as tecnologias digitais que precisam para crescer e tornar-se mais eficiente.”
  4. Seus clientes irão agradecer-lhes. Se os clientes externos ou funcionários internos, as pessoas já têm adotado largamente práticas digitais em todas as facetas de suas vidas, desde as compras on-line através de seus dispositivos móveis para ajustar seu termostato casa remotamente. Eles estão esperando por empresas para se recuperar.

O que faz um quadro transformação digital se parece?

Embora transformação digital irá variar amplamente baseado em desafios e demandas específicas das organizações, existem algumas constantes e temas comuns entre os estudos de casos existentes e frameworks publicados que todos os líderes de negócios e tecnologia deve considerar como eles embarcam em transformação digital.

Transformação digital

Transformação digital

Por exemplo, estes elementos transformação digital são muitas vezes citados:

  • Experiência do cliente
  • Agilidade operacional
  • Cultura e liderança
  • Capacitação da força de trabalho
  • Integração de tecnologia Digital

Enquanto cada guia tem sua própria recomendações e passos diferentes ou considerações, os CIOs devem olhar para esses temas compartilhados importantes ao desenvolver sua própria estratégia de transformação digital.

Alguns exemplos de enquadramentos transformação digital incluem:

MIT Sloan: The Nine Elements of Digital Transformation

Cognizant: Uma Estrutura para a Transformação Digital Business

Altímetro: Seis Estágios de Transformação Digital

Ionology Um Guia Passo-a-passo para Transformação Digital

Qual o papel que a cultura desempenham na transformação digital?

Nos últimos anos tem havido uma mudança fundamental ocorrendo no papel de TI. Um relatório recente da Harvey Nash e consultoria KPMG descobriu que “CEOs estão focados em projetos de TI que pode ganhar dinheiro (63 por cento), em vez do que aqueles que economizar dinheiro (37 por cento).” O mesmo relatório mostra “prioridades de longa data CIO vimos a maior queda em importância durante os últimos quatro anos. Aumentar a eficiência operacional, por exemplo, caiu 16 por cento, e proporcionando um desempenho de TI estável caiu 27 por cento.”

Já não são as empresas que constroem software ou executá-lo para redução de custos e operações, mas sim de TI tornou-se o principal motor da inovação empresarial. Abraçar essa mudança exige todos na empresa a repensar o papel e o impacto da TI na sua experiência do dia-a-dia.

Transformação digital

Transformação digital

Bryson Koehler, CIO da The Weather Company, diz: “Há uma mentalidade muito diferente no trabalho quando você tirá-lo de um modo de funcionamento, ‘Vamos executar um monte de soluções em pacotes que nós compramos e levantou-se’ para ‘ Vamos construir e criar novas capacidades que não existiam antes.’ Se você olhar para a grande maioria das startups, não está começando com gigante, devidamente embalados pacotes de software como a base da sua empresa. Se você está tentando criar a inovação dentro de uma grande empresa, então você não deve começar com o que quer.Você não está aqui para executar o mainframe mais. Você não está aqui para executar os servidores. Você não está aqui para executar o centro de dados, ou a rede, ou operações.Isso é apostas da mesa. Isso é o que você pode terceirizar.”

Embora ele vai jogar um papel importante na condução estratégia de transformação digital, o trabalho de implementação e adaptação às mudanças maciças que vão junto com transformação digital cai para todos. Por esta razão, a transformação digital é uma questão de pessoas.

“Encontrar maneiras de ajudar as pessoas através deste fosso digital e o choque cultural que a mudança rápida traz vai ser tão importante quanto a tecnologia que usamos para chegar lá,” Marc Carrel-Billiard, tecnologia global de P & D chumbo na transformação digital na Accenture, é citado como dizendo em um artigo para TechCrunch .

Transformação digital

Transformação digital

Dr. David Bray, CIO of the U.S. Federal Communication Commission, perfectly captures how this cultural shift sets the stage for transformation. “Throughout human history, the things that we could do with tools changed what we could do as humans, and as a result, changed what we could do as cultures,” Bray says. “Our species is ‘smart’ because we know how to use tools collaboratively together. At the end of the day, when we talk about technology change – whether it’s the Internet of Everything, big data, or machine learning – it’s really about people and organizational cultures, first and foremost. Then, it’s about how those people get stuff done together – and that’s really what it comes down to when you talk about transforming organizational cultures.”

O que impulsiona a transformação digital?

An important element of digital transformation is, of course, technology. But often, it’s more about shedding outdated processes and legacy technology than it is about adopting new tech. Nextgov reports, “Around three-quarters of the $80 billion the federal government spends on information technology each year is used just to keep legacy systems running.”

Transformação digital

Transformação digital

No setor de saúde, “Apesar do uso generalizado de smartphones e outros dispositivos móveis, entre os profissionais de saúde, 90 por cento dos hospitais ainda usam pagers e pagar a mais por 45 por cento para manter os serviços legado de paginação, de acordo com um estudo realizado por Tiger texto e usando pesquisa realizada pela HIMSS Analytics “.

Exemplos como estes abrangem todas as indústrias, e a prevalência da tecnologia legada dificulta a capacidade dos CIOs para embarcar com sucesso em uma estratégia de transformação digital. Pesquisa da Forrester sugere, em média, os CIOs gastam uma média de 72 por cento dos seus orçamentos em existente diz respeito TI, enquanto apenas 28 por cento vai para novos projetos e inovação.

Se as empresas querem evoluir com o rápido ritmo da mudança digital de hoje, eles devem trabalhar para aumentar a eficiência com a tecnologia sempre que possível. Para muitos, isso significa adotar os princípios ágeis em toda a empresa.

FCC CIO Bray recentemente conduziu uma grande reformulação dos sistemas legados da agência 207 , incluindo dois servidores 11-year-old que pesaram uma tonelada cada.O esforço de redução de custos de manutenção contínua de mais de 85 por cento do orçamento da agência para menos de 50 por cento. Agora, movendo-se para a frente, a agilidade é a prioridade número 1 para Bray.

Transformação digital

Transformação digital

“As coisas hoje não estão mudando de forma linear; eles estão mudando de forma exponencial. Não é bom o suficiente para que você fosse rápido no ano passado. Se você não mais rápido for este ano, você vai cair cada vez mais para trás. Agilidade supera tudo o mais “, diz Bray. “Pessoalmente, eu não comprometer-se a qualquer esforço organizacional que seja superior a seis meses, porque o mundo vai mudar nesse período de tempo dramaticamente. Você precisa ter tapa-buracos ao longo do caminho para que você possa reavaliar e pivot se você precisa, ao longo desse esforço de seis meses. Um deve ter um plano de longo prazo que exceda seis meses, ainda comprometer-se a resultados em seis meses ou menos ao longo do caminho.”

Como posso começar a transformação digital?

Como as empresas formular sua própria estratégia de transformação digital, há muito a ser aprendido com CIOs e líderes de TI que já começaram suas jornadas. Abaixo está uma coleção de histórias e estudos de caso transformação digital que você pode explorar ainda mais.

10 transformação digital deve-lê

Matson CIO: The most painful, gut-wrenching part of leading transformation

Como nuvem híbrida ajuda transformação digital

SunTrust CIO’s formula for speed relies on cloud, DevOps

smarts orçamento para transformação digital: 4 dicas

Onde posso aprender mais?

transformação digital é uma grande empresa, especialmente para grandes empresas, estabelecidos. Quando bem feito, que irá produzir um negócio que está mais alinhado com as demandas dos clientes e resistente no futuro digital em movimento rápido.

Para obter mais conhecimentos sobre a transformação digital, consulte estes recursos:

Transformação digital

Transformação digital

Saiba mais sobre como principais CIOs estão impulsionando a geração de receita em suas organizações de TI neste relatório Harvard Business Review Analytic Serviços . 

Entenda como é a consultoria Totvs da Anadi

Toda empresa depende do bom funcionamento de seu ERP para que seus processos sigam com eficiência. Esse é um dos motivos que faz da consultoria uma aliada importantíssima de qualquer gestor. Desde o momento da implementação até na busca por melhoria contínua, contar com especialistas no assunto é a melhor opção.

A consultoria Totvs da Anadi é um exemplo de como essa prática pode revolucionar a dinâmica interna da empresa. Criamos este post para mostrar como ela funciona, qual o seu diferencial e que benefícios traz para sua empresa. Confira!

O que é a consultoria Totvs?

O ERP da Totvs é, sem dúvida, uma referência no mercado. Para extrair o melhor de seu desempenho, é importante tomar algumas ações que visam não só preparar as equipes, mas otimizar certos processos relacionados a ele. É por isso que a consultoria da Anadi parte do levantamento das demandas do cliente.

A grande função de uma consultoria é oferecer à empresa contratante o conhecimento técnico de profissionais experientes. No caso de um ERP, pode ser complicado fazer a aquisição e implementação por conta própria, já que muitas vezes os profissionais da empresa não possuem capacitação específica para aquele sistema.

Os consultores atuam dando suporte no planejamento da aquisição, acompanhando de perto todo o processo e apontando pontos de melhoria ao longo do caminho. O objetivo é que a implementação seja breve, sem dificuldades desnecessárias e adequada às características da empresa.

Afinal, é o ERP que deve se adequar a ela, não o contrário.

Como funciona a consultoria?

O primeiro passo é a realização de reuniões para que as necessidades da empresa sejam identificadas. A consultoria pode começar até mesmo antes da implementação do sistema, já que trata-se de um processo bastante delicado e que precisa ser executado com cuidado. O olhar crítico e a experiência dos consultores são essenciais nesse momento.

Por isso, a Anadi atua desde a aquisição do ERP até o fim do processo, já com o sistema em funcionamento. Grosso modo, é oferecido todo o suporte para planejamento, aquisição e acompanhamento da implementação.

Isso permite que ações de melhoria sejam levantadas mesmo durante os primeiros passos. Quando a ativação for feita, a empresa já estará totalmente preparada para utilizá-lo com tranquilidade.

Por que a sua empresa precisa da consultoria?

Muitas empresas acabam tendo problemas com a implementação de um ERP pois, principalmente em casos de sistemas poderosos e complexos, buscam ajustar a dinâmica da empresa às características do software. Na verdade, é preciso haver um equilíbrio nessa questão, algo um tanto difícil de alcançar sem um olhar externo.

Ajustes na implementação

A consultoria oferece algo único: o olhar de alguém que não está envolvido nos processos da empresa. Aliado à experiência dos consultores, esse é um fator crucial, pois permite um equilíbrio necessário entre melhorar processos da empresa — para otimizar o uso do ERP — e o ajuste do próprio software para suas necessidades.

Estando diretamente envolvidos na dinâmica interna da empresa, os funcionários não são capazes de abstrair-se do ambiente para enxergar cenários de maior eficiência para cada processo. Os consultores não só oferecem um olhar diferenciado, como possuem ampla experiência em outras implementações, fazendo com que o cronograma planejado seja seguido até o fim.

Seriedade com as demandas do cliente

A Anadi leva o cliente a sério. O foco é atender às suas necessidades com eficiência. Trabalhar em conjunto para estabelecer os objetivos e, posteriormente, alcançá-los, é a prioridade.

Existem serviços de consultoria interessados apenas na venda de horas de trabalho e projetos. O resultado é um serviço caro e com resultados bastante duvidosos. É por isso que a Anadi decidiu inovar a forma como a consultoria Totvs é executada.

Para esclarecer como isso ocorre na prática, trataremos a seguir de seu maior diferencial.

Qual o diferencial da consultoria Totvs da Anadi?

Atualmente, a Anadi trabalha para utilizar o melhor da tecnologia em prol dos seus clientes. Na prática, está sendo desenvolvido um digital workplace no qual sua empresa pode acessar o serviço de consultoria. Por meio do próprio Fluig, serão propostas melhorias baseadas nas suas necessidades.

O objetivo é oferecer mais soluções com menos horas de consultoria. Não é preciso dizer que isso significa, diretamente, uma redução de custos significativa para sua empresa. Não por acaso, uma das metas atuais da Anadi é disponibilizar um passo a passo em vídeo para todo o processo de implementação.

Sua empresa não precisará pagar por esse primeiro passo — é um investimento que a Anadi faz, promovendo o conhecimento técnico necessário para os processos básicos. Se houver alguma dúvida, será possível contar ainda com cronogramas de referência para a implementação.

Com base neles, a nossa consultoria realizará reuniões quinzenais agendadas, guiando sua empresa em direção aos próximos passos.

O foco desse modelo de ação é empoderar sua empresa em relação ao que ela julga importante para si mesma. Suas ações serão conscientes e, ainda assim, terão suporte da consultoria para garantir a eficiência esperada.

O que a consultoria Totvs vai agregar à minha empresa?

Não dá para pensar em qualquer implementação de sistema ou contratação de serviço sem calcular o impacto financeiro que isso terá em uma empresa. É por isso que a Anadi desenvolveu esse modelo de consultoria Totvs, que visa reduzir os custos para seus clientes e, ao mesmo tempo, otimizar as soluções oferecidas.

Sua empresa será capaz não só de implementar o ERP com sucesso como, também, aprender durante o processo. A formação de uma equipe de TI capacitada, por exemplo, é fundamental para garantir a continuidade do sistema e a qualidade de seu funcionamento.

Por isso, as informações disponibilizadas serão cuidadosamente trabalhadas para que não haja problemas na implementação. Além disso, as reuniões periódicas garantem a avaliação constante daquilo que está sendo executado, de forma que os pontos a serem melhorados não sejam deixados de lado.

Uma consultoria eficiente gera valor para a empresa e sua marca. Afinal, até mesmo produtos e serviços, sem falar da relação entre você e seus clientes, são influenciados pela eficiência do ERP.

Faça uma avaliação você mesmo e veja como uma consultoria Totvs pode ser a estratégia de que você precisa para fazer sua empresa crescer ainda mais!

Gostou do post? Então entre em contato com a Anadi e saiba como podemos ajudá-lo nesse processo!

Os 6 erros comuns na hora de investir em TI

Sua empresa precisa investir em TI, mas como saber se as suas escolhas são as melhores para conseguir extrair o máximo dos equipamentos e serviços adquiridos?

Esta é uma dúvida de muitos gerentes responsáveis pelas decisões financeiras dentro de uma empresa. Se você não quer ficar na dúvida, nós preparamos uma lista com 6 erros comuns que você não pode cometer na hora de fazer esse investimento. Confira!

1. Falta de planejamento

Uma TI eficiente e que traga o máximo de seus benefícios para uma empresa só é possível com um planejamento adequado, que vislumbre soluções tecnológicas para a otimização de processos problemáticos.

Deixar de fazer um estudo adequado sobre o estado da TI na sua empresa hoje é a fórmula mais comum para gastos desnecessários de tempo e dinheiro. Uma boa pesquisa de mercado, testes controlados e a busca por foco na solução de problemas é a melhor forma de garantir o sucesso no futuro.

2. Não investir em infraestrutura

Não adianta encontrar soluções para os problemas que a empresa tem hoje se a infraestrutura de TI não comporta a implementação de novas ferramentas e serviços.

Licenças de softwares, novo hardware, atualização e contratação de serviços de Cloud Computing são exemplos de investimentos que podem facilitar o acerto na hora de planejar uma TI mais eficiente.

3. Não treinar sua equipe

Muitas empresas não conseguem aproveitar o máximo de suas soluções em TI por pensarem muito no fator tecnológico e pouco no humano. Equipes despreparadas prejudicam a própria capacidade de trabalho e ainda comprometem a disponibilidade geral do sistema, colocando no ar ferramentas incompletas ou mal implementadas.

4. Não pensar no longo prazo

Como a tecnologia avança muito rápido, alguns empresários, gerentes e profissionais tendem a acreditar que soluções de investimento em TI devem ser imediatas e pensadas para um futuro próximo.

Esse tipo de pensamento leva ao desperdício de capital e uma necessidade constante de ajustar a operação. A TI deve se adequar às novas soluções de mercado, mas a estratégia de implementação, monitoramento e iteração tem de ser pensada para longos períodos — as ferramentas podem mudar, mas a filosofia de investimento em tecnologia precisa ser constante.

5. Ignorar novas soluções em tecnologia

O oposto também acontece muito, empresas que se recusam a planejar fora da sua zona de conforto e, quando percebem, já estão muito atrás da concorrência.

Iteração e inovação fazem parte de um ciclo fundamental para empresas que querem estar sempre na ponta. A TI, hoje, tem papel vital nessa relação entre identificação de problemas e busca por novas soluções.

6. Não contar com a ajuda de uma consultoria para investir em TI

É claro que acertar um investimento em TI nunca é uma tarefa fácil, principalmente para empresas que ainda lidam pouco com tecnologia ou não possuem equipe suficiente para levantar tantas variáveis e buscar soluções realmente inovadoras.

Mesmo assim, vários empresários tentam fazer por conta própria esse planejamento e terminam com menos do que poderiam conseguir com o investimento feito. Sem ajuda especializada no assunto, fica difícil garantir não só a contratação e aquisição, como também uma implementação adequada que resolva seus problemas de forma efetiva e ajude o negócio a crescer.

Você encontra a mesma dificuldade para investir em TI? Então a ajuda de uma parceira consultora pode ser exatamente o que você precisa para não cometer estes erros. Se você acredita que esta é a melhor saída, pode continuar pesquisando sobre o assunto lendo este artigo sobre como escolher a melhor opção em consultoria empresarial!

A intranet morreu: a nova era da comunicação interna nas empresas

Cerca de duas décadas após surgir como uma excelente solução para a comunicação interna das empresas, a intranet começa a agonizar.

Sua concepção baseada no armazenamento e controle do conteúdo enfrenta, hoje, a forte concorrência de outras ferramentas mais alinhadas ao ambiente colaborativo em que vivemos: as redes sociais colaborativas e os sistemas de comunicação integrada. Entenda, agora, o porquê desta mudança!

A intranet  – Concepção antiga

A intranet se popularizou, no final dos anos 1990, como uma eficiente ferramenta para publicação de conteúdo. Instalada nos servidores das empresas, também tem como função promover a integração com os demais sistemas e com os serviços oferecidos pela organização.

Somente nos últimos anos, a intranet tem incorporado ferramentas que atendem ao espírito colaborativo que se sobrepõe na web, porém com claras limitações resultantes da sua concepção.

A intranet se notabiliza por uma série de características que, hoje, contribuem para sua obsolescência, como custos, preocupação com a segurança e o baixo nível de engajamento que ela proporciona.

 

transformacao digital ebook

Sistemas grandes e caros

Esta é uma marca registrada da intranet. Com seus sistemas de grande porte, ela demanda um considerável investimento de instalação, bem como o custo dos softwares e hardwares para garantir seu funcionamento. Há, ainda, a necessidade do desenvolvimento e treinamento das equipes que ficarão responsáveis pela sua gestão.

Não raro, a manutenção de uma intranet na empresa exige a dedicação de uma equipe especializada no seu gerenciamento, o que reforça a imprescindibilidade de investimentos consideráveis para manter o sistema ativo.

Riscos à segurança

Na intranet, estão armazenados todos os sistemas e documentos da organização. Alguém com acesso livre a todas as áreas pode causar um belo estrago à integridade das informações corporativas ou mesmo ao funcionamento de processos organizacionais. Por isso, a intranet precisa ser protegida por uma rigorosa política de segurança, com controle de permissões de acesso aos diferentes níveis de informação.

Esse indispensável zelo pela segurança agrava o engessamento da intranet, comprometendo a agilidade e o dinamismo que se exige, atualmente, em qualquer área de atuação.

Redes sociais corporativas

Mais alinhadas ao perfil colaborativo que toma conta do mercado de trabalho, as redes sociais corporativas se apresentam como a evolução da intranet. Armazenadas em nuvem, com baixos custos de instalação e manutenção, as redes sociais estimulam a produtividade e o engajamento dos colaboradores.

Por permitir o diálogo e a troca de informações em tempo real, as redes sociais são propulsoras do ambiente colaborativo. Além disso, elas dependem menos dos controles e processos de TI que engessam a intranet. O gerenciamento dos fluxos fica na mão dos gestores e dos próprios colaboradores.

Públicos variados

Outra vantagem das redes sociais corporativas é a perspectiva de facilitar a comunicação também com diversos públicos. Elas permitem desenvolver interfaces também com clientes e fornecedores externos, criando novas possibilidades de negócios.

Enfim, a evolução da intranet para as redes sociais corporativas parece ser um caminho sem volta, que deverá modernizar a comunicação interna das organizações. Se isso ainda não é uma realidade na sua empresa, provavelmente acontecerá em breve.

Agora que você conhece um pouco melhor sobre a nova era da comunicação interna nas empresas, confira também algumas novidades na área de recursos humanos e esteja mais cada dia mais capacitado para o mundo empresarial.

Single Sign-on: como funciona o acesso único a sistemas internos

pspanO Single Sign-on é uma forma de simplificar múltiplas credenciais de acesso. Para empresas, esse tipo de sistema pode aprimorar a agilidade de processos e até a segurança digital./span/p

pspanHoje, uma das formas mais comuns de se realizar controle de acesso lógico para documentos, aplicações e softwares é com uma simples etapa de login e senha. Mas isso se torna um problema quando o volume de credenciais o qual se deve memorizar é grande./span/p

pspanUm sistema de Single Sign-on pode ser a solução para esse desafio. Neste artigo, vamos explicar como essa tecnologia funciona e porque ela é mais ágil e segura. Confira!/span/p

h2spanComo simplificar o controle de acesso com o Single Sign-on/span/h2

pspanO Single Sign-on, ou SSO, é o nome dado para ferramentas que unificam o controle de acesso de diversos aplicativos e serviços em uma única etapa de autenticação. Ou seja, um usuário consegue acesso a múltiplos sistemas como o /spana href=”http://anadi.com.br/erp-revolucionar-sua-empresa/?utm_source=blogamp;utm_campaign=rc_blogpost”spanERP/span/aspan, /spana href=”http://anadi.com.br/importancia-ter-um-crm-trabalhando/?utm_source=blogamp;utm_campaign=rc_blogpost”spanCRM/span/aspan, e-mail e outros com apenas um único nome de usuário e senha./span/p

pspanO SSO é especialmente útil para empresas que lidam com múltiplos softwares e aplicações que demandam autenticações diferentes. Centralizar tudo em uma única identidade é mais prático para o usuário final e também para a TI, além de ser mais ágil e seguro./span/p

pspanQuando os usuários precisam memorizar uma série de logins e senhas para acessar suas aplicações de uso rotineiro, as chances de que eles relaxem na segurança é bem maior, aumentando a possibilidade de uma brecha que permita acessos não autorizados em um desses sistemas./span/p

pspanAlém disso, se um colaborador precisa se lembrar de várias formas de acesso, é possível que, em algum momento, ele se esqueça ou confunda algumas delas, o que faz com que ele desperdice tempo em um processo de recuperação do acesso./span/p

pspanUtilizar o Single Sign-on simplifica isso, pois é preciso memorizar e garantir a segurança de uma única senha. Um bom exemplo de ferramenta que faz tudo isso é o /spana href=”https://www.fluig.com/identity?utm_source=blogamp;utm_campaign=rc_blogpost”spanIdentity, da fluig/span/aspan./span/p

h2spanComo o Single Sign-on pode ajudar a gestão de identidades e acessos/span/h2

pspanEm uma empresa com vários setores e múltiplos softwares e aplicações utilizados pelos seus colaboradores, um dos desafios da TI é gerenciar as autorizações de acessos de tantos usuários e conteúdos./span/p

pspanNão é interessante, por exemplo, que colaboradores do financeiro tenham acesso a toda a plataforma e /spana href=”http://anadi.com.br/como-um-software-pode-ajudar-na-gestao-de-rh/?utm_source=blogamp;utm_campaign=rc_blogpost”spandocumentos do RH/span/aspan e vice-versa. Além disso, em alguns negócios pode ser importante que algumas informações sejam sigilosas para parte do time, incluindo aí segredos comerciais e dados valiosos de pesquisas./span/p

pspanO Single Sign-on pode ser uma boa ferramenta para facilitar a chamada Gestão de Acessos e Identidades ou GIA./span/p

pspanBoa parte das ferramentas de acesso único facilita a implementação de restrições e permissões específicas de acesso, o que simplifica o trabalho da TI, que não precisa realizá-la em inúmeras outras aplicações./span/p

pspanCom isso, cada pessoa conseguirá utilizar apenas aqueles sistemas e aplicações que ela está devidamente autorizada e sem precisar logar em todos eles para isso./span/p

pspanMais uma vez, uma boa ferramenta que permite isso é o /spana href=”https://www.fluig.com/identity?utm_source=blogamp;utm_campaign=rc_blogpost”spanIdentity/span/aspan, o qual possui uma interface visual que facilita a seleção do conteúdo que cada colaborador pode acessar nos sistemas da empresa./span/p

pspanAgora que você já sabe o que é o Single Sign-on e como ele pode ajudar a proteger as informações da sua empresa, que tal assinar nossa newsletter e ficar por dentro dos melhores conteúdos de gestão, tecnologia e ERP?/span/p

Darwin, Evolução e Transformação Digital

,

Charles Darwin e Transformação Digital ?

Charles Darwin (1809-1882 ) foi um naturalista inglês, autor do livro “Da Origem das Espécies”. Formulou a teoria da evolução das espécies, anteviu os mecanismos genéticos e fundou a biologia moderna. É considerado o pai da “Teoria da Evolução das Espécies”.

O que isso tem a ver com a sua empresa exatamente neste momento?

Pergunta: Você sabe porque Empresas Gigantes como MESBLA, MAPPIN, OLIVETTI, BLACKBUSTER, KODAK, XEROX, entre várias outras que simplesmente desapareceram ou são praticamente insignificantes hoje?
Resposta: Elas não agiram com a velocidade necessária diante da Tecnologia e as mudanças e evoluções que foram ditadas pelos seus mercados e as necessidades novas criadas pelos clientes. Mesmo sendo as lideres absolutas dos seus respectivos setores, elas ainda assim desapareceram rapidamente do cenário pois não souberam acompanhar a tecnologia se posicionar perante as mudanças que apareceram. Desta forma viraram verdadeiros “fosseis” respeitáveis do passado…

 

Não são as espécies mais fortes que sobrevivem, nem as mais inteligentes, e sim as mais suscetíveis a mudanças.
Charles Darwin.

 

Mas o que Transformação Digital tem a ver com Evolução das Espécies?

Imagine você, em um dia comum, tomando um café ou bebendo uma cerveja a noite em algum local com seus amigos e de repente, se dá conta que esqueceu que no dia seguinte iria a uma importante festa e que tinha que comprar salada, carne, cerveja e um presente. A festa era importante e a aniversariante uma grande amiga ou parente que sempre lembra de você em todos os eventos !  E já eram 21;30 da noite e você não teria como ver preços, locais, comprar o presente e ir buscar antes da festa !….

Neste momento você calmamente pega seu SmartPhone, abre o Aplicativo do Pão de Açúcar( *), escolhe a salada, carne e bebidas, já faz o pagamento pelo seu Paypal ou cartão de credito já seguramente cadastrado no aplicativo, agenda a entrega para o local da festa que chegará fresquinho e no horário, tudo isso você gastou por volta de 5 minutos, logo depois acessa o Aplicativo da Giulina Flores(*), escolhe um lindo arranjo de flores, um cartão com textos de aniversários, personaliza ele na hora, enquanto toma um gole da sua cerveja ou café, agenda a entrega para o dia seguinte, paga com seu link do Paypal ou Cartão de Crédito e seguramente fecha seu SmartPhone e continua sua reunião tranquilamente com seus amigos.!

Bom, esse futuro, já existe e você pode fazer isso HOJE mesmo!

 

“Sim, mas na minha empresa eu não vejo como fazer essas automações..”

 

Será que não? Quais são as informações que seus clientes, fornecedores, colaboradores necessitam e sempre precisam ligar na empresa, ou enviar um e-mail pedido, ou mesmo esperar chegar as 08.00hs da manha do dia seguinte para solicitar para alguém ou departamento de sua empresa?

Será que grande parte destas informações não poderiam estar estruturadamente acessível ?  Neste momento, enquanto eu escrevo esta matéria, me lembrei que precisava comprar passagens e alugar um local para um grande e importante evento de Marketing que vamos participar em Florianópolis em Outubro. Já reservei o VOO e Aluguei uma casa para 6 pessoas usando AirBnb(*) e Submarino Viagens(*).

E você, o que pode fazer pelo seu cliente para tornar a vida dele mais próxima de você? Mais prática e mais Digital?  Será que seus concorrentes já não estão pensando exatamente nisso agora?

Preparei pessoalmente um e-Book gratuito (clique aqui para Download) falando um pouco de como e porque criar estrategias para ajudar o entendimento do próximo passo.

 

Um forte e Fraternal Abraço !

Marcus Feixas

5 dicas para melhorar a gestão contábil da sua empresa

A gestão contábil de uma empresa precisa sempre estar em uma melhoria constante, devido a isso, é necessário ter muita atenção para executar essa tarefa.

Esse setor costuma ser bastante complexo, porém ele é muito relevante para o bom andamento do negócio, e é por isso que jamais deve ser deixado de lado. O grande problema é que muitos empreendedores têm dificuldade em gerir esse departamento, tomando decisões equivocadas, as quais prejudicam toda a empresa.

Pensando nisso escrevemos este artigo, que vai te ajudar a melhorar a gestão contábil da sua empresa, com apenas 5 dicas. Acompanhe!

1. Registre todas as operações

Registrar todas as operações da empresa é essencial para ter uma gestão contábil eficiente. Por meio desse controle, você saberá exatamente quais são suas receitas e despesas. Além disso, você pode conseguir prever futuros prejuízos, e criar estratégias para eliminá-los, antes que aconteçam.

As principais operações que você deve registrar são:

  • vendas a prazo ou à vista;
  • compras por departamentos;
  • despesas com os colaboradores;
  • impostos e encargos;
  • pagamentos e recebimentos.

2. Delegue suas tarefas

A sobrecarga de trabalho interfere na produtividade, concentração e eficiência do gestor, por isso é de suma importância que você delegue suas tarefas para os seus colaboradores. Assim, você vai conseguir focar mais no seu trabalho e diminuir suas margens de erro.

Além do mais, sua equipe estará mais confiante e motivada, sabendo que você confia nela para ajudar a solucionar questões importantes da empresa.

3. Faça reuniões de acompanhamento com o contador

O contador da empresa deve ser seu braço direito, por isso que as reuniões com ele devem ser frequentes. Nesse encontro, é importante você verificar quais foram os tributos recolhidos pela empresa, se o regime tributário adotado é o ideal para o seu negócio, analisar os balancetes etc.

Em resumo, essa reunião se faz necessária porque você precisa saber o que está acontecendo dentro do empreendimento, e também para solucionar problemas financeiros que podem pôr em risco o bom andamento do negócio.

4. Armazene corretamente os documentos

Os documentos do negócio devem ser armazenados na empresa e não com o contador; isso vai proporcionar mais segurança à organização e ao contador também.

Porém, é importante você saber que existem alguns documentos que devem ser remetidos ao contador e, posteriormente, eles serão devolvidos à empresa, tais como as notas fiscais, extratos bancários, registro de venda, entre outros.

Os documentos mais importante que devem ser armazenados corretamente são:

  • registro de firma individual;
  • contrato social;
  • CNPJ;
  • alvará etc.

5. Tenha um sistema informatizado integrado

O ponto principal para melhorar a gestão contábil da empresa é poder contar com a tecnologia a seu favor e automatizar os processos do negócio.

Os sistemas de gestão ERP são desenvolvidos para que você tenha mais comodidade e segurança na hora de realizar suas tarefas, por isso que contar com essa ferramenta para fazer uma gestão contábil mais eficiente é fundamental, pois além de gerar relatórios precisos e auxiliar nas tomadas de decisões, ela diminui as margens de erros, as quais podem gerar danos para o seu negócio.

A gestão contábil é a base de qualquer empreendimento. Por meio dela você pode criar estratégias para fazer novos investimentos, com a finalidade de fazer a empresa expandir. Porém, não são todos que seguem essas dicas e acabam afundando o seu negócio por não saber gerir o setor contábil. Por isso, é importante que você aprofunde o seu conhecimento e melhore a gestão contábil da sua empresa.

Deixe seu comentário no post e compartilhe suas dúvidas e experiências sobre gestão contábil!

[e-Book] – ERP, Guia para tirar suas duvidas

Guia ERP

Em um momento de tantas mudanças rápidas e que a cada minuto mais informações são colocadas na sua frente, não podemos deixar os conceitos primordiais que alavancaram tantas mudanças. O ERP é um dos seus protagonistas !

Faça o Download do seu e-Book 

 

Neste guia gratuito, você terá :

  • Entenda o que é um sistema ERP
  • Saiba como é divido um sistema ERP
  • Conheça as vantagens do sistema ERP
  • Aprenda como implementar ERP com eficiência
  • Descubra quanto custa um sistema ERP
  • Conclusão

 

Boa Leitura !