5 dicas para organizar o fluxo de caixa da sua empresa

Uma boa gestão do fluxo de caixa permite não só organizar as suas finanças, mas também conhecer de forma detalhada suas entradas e saídas e quais são as suas disponibilidades em um determinado período de tempo.

Mas o que você precisa fazer para tirar o máximo proveito dessa ferramenta? Neste post você vai conhecer 5 dicas para organizar o fluxo de caixa da sua empresa e vai compreender como elas poderão te ajudar a buscar a melhoria contínua nas finanças de sua organização.

1. Inicie e otimize o controle sempre

A otimização do fluxo de caixa começa com a sua compreensão. Na elaboração do seu fluxo, além dos valores disponíveis em dinheiro, também será necessário registrar as contas bancárias e aplicações de curto prazo que a empresa possui. Esses valores formam o fluxo de caixa, pois são facilmente convertidos em disponibilidades.

Além desses elementos, estão as entradas, relacionadas principalmente com os recebimentos de clientes, e também as saídas, que podem ser representadas por pagamentos feitos a fornecedores, funcionários e outras contas da rotina empresarial. Após o confronto dos saldos de recursos, com as entradas e saídas será obtido o fluxo de caixa.

2. Procure detalhar e conhecer sua movimentação

Outra excelente possibilidade do uso do fluxo de caixa é a criação de categorias. Com esse tipo de segmentação, é possível conhecer para onde está indo o dinheiro da empresa e com base nesse conhecimento podem ser traçados planos para a diminuição, ou até mesmo, substituição dos gastos.

A categorização também permite conhecer as suas receitas e com base nessas informações você pode saber quem são seus principais clientes e quanto cada um consome de sua empresa, qual a periodicidade da compra, entre outros detalhes importantes para a gestão de seu negócio.

3. Busque o equilíbrio

Em uma boa gestão financeira, o equilíbrio deve estar presente em diferentes momentos. Utilizando a categorização das receitas e despesas que foi implementada em seu fluxo de caixa, é possível buscar alternativas para épocas do ano em que as vendas são menores e que você precisará de recursos para manter a empresa. Com base nos dados históricos, será possível conhecer em que meses do ano isso acontece e um fundo de reserva pode ser criado para enfrentar épocas difíceis.

4. Faça uma gestão eficiente do estoque

O equilíbrio também deverá estar presente nos estoques de sua empresa, já que muita mercadoria parada é prejuízo na certa e a falta delas também pode comprometer as suas atividades, levando os seus clientes a comprarem da concorrência.

Assim, entender seus períodos de alta e baixa nas vendas, conjugado com o conhecimento dos seus níveis de estoque, proporcionará um fluxo de caixa mais robusto e seguro.

5. Tome cuidado com as vendas e compras a prazo

A organização do seu fluxo de caixa depende do correto registro das entradas e saídas de recursos. Em casos de vendas ou compras a prazo, é preciso estar atento ao registro que deverá ocorrer somente quando os recursos forem recebidos ou saírem de sua empresa, de forma efetiva.

Outro cuidado essencial na organização do fluxo de caixa é relativo aos cheques pré-datados, tanto aqueles que foram recebidos quanto emitidos. O registro desses valores somente deverá constar no fluxo de caixa quando puderem ser descontados ou ainda quando forem recebidos na conta-corrente da empresa. Caso o registro seja feito de forma equivocada e antecipadamente, haverá uma versão distorcida de suas finanças.

Nesse post você viu que para organizar o seu fluxo de caixa é preciso entender a ferramenta, detalhar e categorizar as informações e buscar o equilíbrio em relação às suas finanças e estoques. Além disso, foi possível compreender que um cuidado especial com compras e vendas é preciso, já que o registro de forma inadequada destes valores poderá não refletir a realidade sobre suas finanças.

E aí gostou deste post? Então continue com a gente e saiba por que a sua empresa deve ter um!

cadastre seu e-mail